Bélgica vence a Copa de Hipismo

A Bélgica surpreendeu os favoritos alemães e conquistou o título da Copa das Nações de Hipismo, o torneio por países do Concurso Internacional de Saltos de Aachen, na Alemanha. Na disputa desta sexta-feira, o Brasil não conseguiu ficar entre os seis melhores países e não disputou a decisão. A equipe da Alemanha foi a vice-campeã, enquanto Itália, Holanda, Estados Unidos e Grã-Bretanha obtiveram de terceiro a sexto lugares, respectivamente.O Brasil foi a única entre as dez equipes participantes a competir com três cavaleiros, sem a possibilidade de descartar o pior resultado, alternativa para os países com quatro conjuntos. Bernardo Rezende, com Oberon, foi o único brasileiro a concluir o percurso sem faltas (tempo de 85s48). Rodrigo Pessoa e Lianos fizeram uma falta (84s88) e Álvaro Affonso de Miranda Neto, o Doda, com Aspen, cometeram duas faltas (84s61).Com esses resultados, o Brasil terminou com 12 pontos perdidos (tempo total de 254s57) e ficou fora da disputa do título, entre os seis melhores times. Suíça (com 13 pontos), Irlanda (20) e França (21) também não voltaram à pista para a decisão no segundo percurso do dia. Em compensação, os três cavaleiros brasileiros asseguraram presença na decisão do Grande Prêmio de Aachen, neste domingo, a partir das 8h30 de Brasília. Antes disso, sábado, às 11 horas, Rodrigo Pessoa, a grande estrela do hipismo nacional, participa de uma prova exibição de revezamento de cavalos, com o campeão olímpico, o holandês Jeronen Dubbeldam, a campeã européia, a francesa Alexandra Ledermann, e o campeão do GP de Aachen no ano passado, o alemão Otto Becker.Lamento - "Se a Keri Porter estivesse na equipe, o Brasil iria para o segundo percurso", afirmou Doda, referindo-se a amazona norte-americana que será mulher de Rodrigo Pessoa (o casamento está agendado para o dia 23). Por uma briga política, envolvendo Luiz Felipe Azevedo, Keri Porter foi impedida de disputar o GP de Aachen pelo País, que ficou com apenas três representantes no campeonato.Depois de ter trocado de animal, já que Baloubet du Rouet refugou durante a prova de quinta-feira, Rodrigo Pessoa lamentou a falta cometida por Lianos, na entrada do duplo, o último obstáculo do percurso de hoje. "O cavalo perdeu a ferradura depois do triplo, ainda passou o rio, mas ali escorreu com a pata anterior esquerda. É claro que com três cavalos era difícil, mas não tínhamos alternativa", explicou o cavaleiro. Ele ainda observou que mesmo se fizesse zero, o Brasil terminaria empatado com a Holanda na pontuação, mas ainda assim não iria à final porque a equipe rival foi 5 segundos mais rápida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.