Kay Nietfeld/EFE
Kay Nietfeld/EFE

Berlim se prepara para ver mais um show de Usain Bolt

Jamaicano disputa nesta quinta-feira a final da prova dos 200 metros na competição na Alemanha

Agência Estado,

19 de agosto de 2009 | 22h43

BERLIM - Mais um dia para reverenciar Usain Bolt. Essa é a expectativa nesta quinta-feira, quando acontece a final dos 200 metros, a partir das 15h35 (horário de Brasília), no Mundial de atletismo de Berlim, na Alemanha. A conquista do ouro e do recorde mundial nos 100 metros, conseguida no último domingo, foi só o início do show do velocista jamaicano, apostam os fãs e os especialistas.

Veja também:

linkBolt se classifica para final dos 200 metros

linkJamaica encosta nos EUA no quadro de medalhas

mais imagens GALERIA DE FOTOS - Imagens do dia 5

especial MUNDIAL - Leia todas as notícias do torneio

forum QUIZ - Participe do teste sobre o Mundial

tabela CALENDÁRIO - Todos os eventos e horários

Apesar da impressionante performance nos 100 metros, com o recorde de 9s58, Bolt nunca escondeu que sua principal prova é os 200 metros. Nesta distância, ele também é campeão olímpico e recordista mundial - fez 19s30 justamente nos Jogos de Pequim, no ano passado. Por isso, é o grande favorito à medalha de ouro nesta quinta-feira, podendo até baixar o seu tempo.

Nesta quarta-feira, Bolt disputou as semifinais dos 200 metros. E, mesmo sem forçar o ritmo, fez o melhor tempo do dia: 20s08. Nos últimos metros da prova, inclusive, ele praticamente andou na pista, como se estivesse passeando pelas ruas da pobre Trelawny, sua cidade natal na Jamaica. Assim, guardou energia para brilhar na final, quando buscará outra medalha de ouro.

"Me senti melhor do que ontem (terça-feira) e consegui a classificação", comentou Bolt, lembrando das eliminatórias dos 200 metros, quando admitiu ter sentido cansaço pelo esforço que fez na disputa dos 100 metros. Assim, com palavras tímidas, ele mostrou estar ansioso para voltar ao hotel e poder descansar. Recuperar as energias era sua real preocupação.

Bolt quer força máxima para dar a si próprio o melhor presente de aniversário: a segunda medalha de ouro no Mundial. Na sexta-feira, ele fará uma festinha particular em Berlim para comemorar os 23 anos com amigos e familiares que o acompanham na Alemanha. De preferência, com mais uma conquista histórica para sua coleção de feitos inacreditáveis.

Ao contrário dos 100 metros, em que encarou nomes de peso como o norte-americano Tyson Gay e o também jamaicano Asafa Powell, Bolt não tem fortes adversários nos 200 metros. Seu principal rival na prova seria o próprio Tyson Gay, mas uma contusão o afastou da disputa. "Ele está mostrando uma performance impressionante. É fenomenal", afirmou um dos oito finalistas dos 200 metros, o norte-americano Shawn Crawford, já reverenciando o astro jamaicano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.