Claude Paris/AP
Claude Paris/AP

Bernard diz que esperava bom desempenho em prova

Após estabelecer recorde mundial dos 100 metros livre, francês afirma que atingir marca em casa é mais especial

Agencia Estado

23 de abril de 2009 | 17h10

O nadador francês Alain Bernard disse nesta quinta-feira, logo depois de estabelecer o novo recorde mundial dos 100 metros livre, com 46s94, que estava otimista com um bom desempenho no Campeonato Francês, disputado na cidade de Montpellier, no sul do país. Mas admitiu que não esperava se tornar o primeiro homem a nadar a distância abaixo dos 47 segundos.

Veja também:

linkBernard diz que esperava bom desempenho em prova

"Sabia que havia condições de fazer algo bom, e deu tudo certo, mas ser o primeiro a baixar dos 47 segundos é realmente mítico", afirmou Bernard após a prova. É a quarta vez que ele obtém o recorde mundial da prova, e o fato de ter sido em casa, segundo ele, torna o feito ainda mais especial. "Não tem preço ver a alegria dessa gente. É algo que guardarei para sempre", completou o nadador.

Bernard usou um novo modelo de maiô da marca Arena, o mesmo usado pelo brasileiro Cesar Cielo, que ainda depende de homologação da Federação Internacional de Natação (Fina), o que pode até provocar a anulação do recorde. Foi o que aconteceu com a sueca Therese Alshammar, que bateu o recorde mundial nos 50 metros borboleta em março, na Austrália, mas teve a marca cancelada por estar com dois maiôs - ela disse ter sido obrigada a usar um biquíni por baixo do maiô principal para não expor demais seus seios.

O técnico Denis Auguin, no entanto, minimizou o risco de que isso aconteça com seu pupilo. Segundo ele, Bernard foi movido especialmente pelo desejo de se preparar bem para o Mundial de Esportes Aquáticos, em julho, na Itália. "O trabalho e o desejo de ser campeão do mundo são sua força", afirmou Auguin.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.