Bernardinho avisa que cobrança será maior

A Seleção Brasileira Masculina de Vôlei desembarcou nesta segunda-feira em São Paulo com o tricampeonato da Liga Mundial, conquistada domingo sobre a Sérvia e Montenegro por 3 sets a 2. O técnico Bernardinho estava mais requisitado do que os jogadores e, com a taça na mão, já pensa no próximo torneio: os Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, em agosto. ?O time vai ficar de folga até a terça-feira que vem, e passamos a treinar no Rio. Nesta terça, verei como está o Gustavo e vamos continuar trabalhando para acertar a programação daqui em diante", disse Bernardinho. O treinador fez questão de ressaltar que a cobrança só tende a aumentar: "Quanto mais se ganha, mais se pesa, mais se tem cobrança. Para suportar este peso, temos de estar cada vez mais preparados." O técnico garante que não deve fazer grandes mudanças nos 12 jogadores que estarão na República Dominicana. "Todos mostraram condições. O Pan é uma competição perigosa, em que nós temos tudo a perder e os outros times têm tudo a ganhar se nos vencerem. Teremos Estados Unidos, Canadá e Venezuela - um time perigoso- além de Cuba, que é um time renovado e imprevisível." Da Liga Mundial, o treinador trouxe uma lição: "No vôlei, você pode ir do céu ao inferno muito rápido. No nosso caso, a diferença entre céu e inferno era de dois pontos apenas. Mas foi uma das finais mais bonitas que eu já vi, se não foi a mais bonita. O mais importante foi nunca termos deixado de acreditar que podíamos ganhar. Mesmo no quarto set, quando perdíamos por 6 a 1 e eu fiz algumas alterações, sabíamos que dava para ganhar. Demonstramos um voleibol de primeiríssima qualidade em vários jogos, mas já sabemos que depois de uma competição como essa, a tendência é que a parte física sofra uma queda." Mas por ser uma competição longa, o preparo físico dos atletas não preocupa muito. "No Pan dá tempo de recuperar a forma física porque é uma competição que dura vários dias. Mas cada um tem sua lição de casa enquanto estiver de folga. A lição são exercícios físicos de uma hora por dia. No resto do tempo, espero que eles se divirtam com suas famílias", disse Bernardinho. Mas os jogadores não conseguirão descansar tão cedo: nesta terça, ao meio-dia, desfilarão em carro aberto nas imediações da Avenida Paulista. Quanto a planos, sobre um possível convite para comandar uma seleção estrangeira, Bernardinho desconversa. "Não há convite nenhum. Estamos focados no nosso trabalho. Estamos pensando no Pan, e depois disso vamos pensar na Copa do Mundo, em novembro, que pode nos dar a vaga para a Olimpíada de Atenas/2004 - nosso principal objetivo." Os jogadores Roberto Minuzzi e Renato Felizardo vão voltar a integrar a equipe, e se apresentam um dia antes que o resto da seleção.

Agencia Estado,

14 de julho de 2003 | 22h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.