Bernardinho: Brasil cumpriu seu dever

Para o exigente técnico Bernardinho, o Brasil fez uma "bela batalha esportiva" contra a Itália, mas apenas "cumpriu o seu dever" ao chegar às semifinais da Liga Mundial de Vôlei. Ao ganhar de 3 sets a 1, nesta quinta-feira, a seleção brasileira terminou a fase com 3 vitórias em 3 jogos. Agora, enfrentará a República Checa, sábado, às 8h30 (horário de Brasília), na luta por uma vaga na decisão do título - o outro finalista sai de Itália x Sérvia e Montenegro.O Brasil busca o terceiro título da Liga Mundial, competição que distribui US$ 15 milhões em premiação. Afinal, foi campeão em 1993, com o técnico José Roberto Guimarães e o time da geração medalha de ouro na Olimpíada de Barcelona, e em 2001, o primeiro título importante da era Bernardinho.Depois da conquista do Mundial na Argentina, no ano passado, Bernardinho entende que o Brasil passou a ser a referência no vôlei. Por isso, segundo ele, o time tinha mesmo que estar entre os quatro melhores da Liga. No jogo contra a Itália, o técnico acha que os brasileiros vacilaram no terceiro e quarto sets.?A partida de hoje pode ser dividida em duas partes: os dois primeiros sets foram os melhores que já fizemos durante a Liga Mundial. Já nos dois últimos, os jogadores, inconscientemente, entraram mais relaxados. Foi um jogo de erros de ambos os lados", avaliou Bernardinho. "Isso me chateia um pouco. Quero ver o time jogando 100% o tempo todo. Mas sei que, de repente, essa é até uma limitação mais minha do que dos jogadores, porque tenho consciência de que isso nem sempre é possível", admitiu o treinador.Bernardinho nem chegou a ver o jogo entre Espanha e República Checa, que começou logo depois ao do Brasil contra a Itália e definiu o adversário brasileiro. Ele preferiu jantar numa churrascaria em Madri. Mesmo assim, disse que os checos vem ?fazendo boas apresentações?.A seleção checa têm média de altura de 1,98 m e média de idade de 25,5 anos. Dos 12 jogadores do grupo, 9 atuam fora do país: na França (5 atletas), na Alemanha (1), Suíça (1), Bélgica (1) e Itália (1). No Mundial da Argentina, no ano passado, o Brasil passou fácil pelos checos. Mas promete ser um páreo duro. "Aqui começa um novo campeonato", avisou o líbero Escadinha.

Agencia Estado,

10 de julho de 2003 | 19h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.