Bernardinho se sente com dever cumprido

Treinador desabafa após conquista do ouro no vôlei

Erica Akie Hideshima, O Estadao de S.Paulo

07 de julho de 2030 | 00h00

Com a sensação de dever cumprido depois de conquistar o único título que não tinha no comando da seleção brasileira masculina de vôlei, o técnico Bernardinho fez balanço do Pan: ficou satisfeito com a partida decisiva, contra os Estados Unidos, colocou ponto final no ''''caso Ricardinho'''' e falou dos planos para a próxima competição da seleção, a Copa América, em agosto.''''Sentíamos a obrigação não só de vencer, mas de mostrar o melhor vôlei neste Pan. Na final, nós cometemos poucos erros e apresentamos nosso melhor jogo. A pressão era forte porque só faltava esse ouro'''', analisou o técnico.Bernardinho falou também a respeito de Ricardinho, cortado dias antes da estréia da equipe no Pan. ''''Esta é a última vez que falo sobre esse assunto. Foi uma semana muito dura para mim. Acho que mais do que a medalha, é importante que nos sintamos fiéis aos nossos princípios e valores, que são coisas que as pessoas simplesmente chutam neste país'''', disse. ''''Esta semana, fui chamado de autoritário, de mercenário e me acusaram de nepotismo por ter chamado meu filho.''''Bernardinho ainda foi irônico. ''''Se eu fosse tudo isso que disseram, teria tirado o Marcelinho do time, e não o Ricardinho, que é o primeiro levantador. Eu não seria tão burro. E outra: acham que, se tivesse sido tão incorreto, os jogadores acatariam e jogariam da maneira como jogaram para ganhar o ouro?'''', questionou.Agora, a maior parte dos jogadores da seleção ganha duas semanas de folga. Para a Copa América, que será realizada em agosto, em Manaus, Bernardinho dará oportunidade aos novos atletas que já vêm trabalhando com a seleção. ''''Desse time que jogou aqui, só Murilo, Bruno e Samuel vão para a Copa América. A lista tem vários nomes, mas devo chamar aqueles mais novos, que já participaram da Liga Mundial com a gente, como Roberto Minuzzi, Alan, Thiago Soares, Evandro e outros'''', enumerou o treinador. ''''Os demais ganham folga e depois se preparam para o Sul-Americano (em setembro, no Chile). Parece que só eu não vou ter férias - na quarta-feira já darei treino para o outro grupo'''', emendou.Apesar de a idéia ser proporcionar uma chance aos mais novos, existe a possibilidade de Nalbert também atuar em Manaus. ''''Aconteceu tanta coisa esta semana que eu nem consegui falar com o Nalbert. Precisamos ver as condições físicas dele'''', explicou Bernardinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.