AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Bernardinho troca o sono pelo trabalho

Bernardinho desistiu de vez de dormir em Atenas. O técnico da seleção masculina de vôlei revelou, nesta sexta-feira, que não pegava no sono havia três dias e que seguiria sem descansar até domingo, quando Brasil e Itália se enfrentarão na decisão da medalha de ouro olímpica. O motivo: quer ver vídeos e estudar o adversário o máximo que puder. O treinador é obcecado pelo trabalho e não consegue relaxar durante competições importantes. A empolgação não permite que deite na cama e pare por algumas horas. "Às vezes tento deitar, mas quando vejo que não vou pegar no sono, saio da cama e vou fazer alguma coisa, como ler", relatou Bernardinho. "Não fico apenas assistindo aos vídeos." Sua leitura, no entanto, não deixa de estar ligada à atividade profissional. Bernardinho está lendo Moneyball - The Art of Winning an Unfair Game, de Michael Lewis, sucesso nos Estados Unidos. A obra conta a história de Billy Beane, uma espécie de manager do Oakland Athletics, da Liga de Beisebol, que teve capacidade para tornar sua equipe competitiva mesmo com orçamento bem menor que o dos concorrentes. O treinador brasileiro contou que comandará apenas um treino físico neste sábado. "Agora é só dar uma malhadinha para pôr os músculos em ordem", explicou. Ele não quer sobrecarregar o atletas, que ficaram em quadra até o fim da noite desta sexta-feira e voltam a atuar já no início da tarde de domingo, no horário da Grécia. Bernardinho comentou que vai conversar bastante com o elenco para evitar que a excelente vitória contra os Estados Unidos na semifinal, por 3 sets a 0, contagie de forma exagerada os atletas. "É preciso tomar cuidado com o excesso de euforia", avisou. Bem-humorado, o técnico brasileiro soltou o verbo contra o jogador Valerio Vermiglio, da Itália, que afirmou "estar sentindo o ouro" em suas mãos. "Ele é bom jogador, mas ninguém gosta dele, nem aqui nem lá na Itália, porque é muito antipático", afirmou. Retrospecto - Brasil e Itália se enfrentarão pela terceira vez em pouco mais de um mês. As últimas duas partidas foram vencidas pelos brasileiros. Em 18 de julho, na final da Liga Mundial, o triunfo foi por 3 a 1, e, na semana passada, pela primeira fase do torneio olímpico, a vitória veio por 3 a 2.

Agencia Estado,

27 Agosto 2004 | 19h24

Mais conteúdo sobre:
olimpíada 2004 olimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.