Bia Figueiredo lamenta quebra e critica falta de apoio

A piloto brasileira Bia Figueiredo teve pouco tempo para mostrar serviço na etapa de São Paulo de Fórmula Indy neste domingo. Após largar na 16.ª posição, ela ficou apenas seis voltas na pista até ter problemas mecânicos e abandonar pela terceira vez em quatro provas neste ano.

CIRO CAMPOS, Agência Estado

05 de maio de 2013 | 20h13

"É frustrante terminar tão cedo uma corrida em que estava indo bem e confiante", disse a brasileira, que fez um bom tempo no warm-up pela manhã, quando ficou em 10.ª. "Essas coisas acontecem, mas temos que levantar a cabeça. Temos que enxergar o lado bom e nosso time está ganhando entrosamento", afirmou.

Além de se preparar para a próxima prova, as 500 Milhas de Indianapolis, no próximo dia 26, ela tem outro objetivo na categoria, que é arrumar patrocínio que banque a sua permanência até o fim da temporada. Caso não consiga, a corrida no circuito oval será a sua última em 2013.

Para evitar que isso aconteça, ela contou que continuará nos Estados Unidos mesmo depois do GP para conseguir fechar um contrato. "No Brasil temos investimentos para Copa e Olimpíada, mas falta para o automobilismo. Antes nosso esporte estava na lista junto com o futebol. Agora outras modalidades, como vôlei e tênis, também têm recebido mais apoio", criticou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.