Bicampeão mundial dos 100m livre, Magnussen só nadará o revezamento no Rio-2016

Um dos melhores velocistas do mundo, James Magnussen não nadará nenhuma prova individual nos Jogos Olímpicos do Rio. Depois de ficar apenas em quarto lugar nos 100m livre na seletiva australiana, nesta quarta-feira o nadador de 25 anos terminou em terceiro nos 50m livre. Cada país pode ter apenas dois representantes por prova.

Estadão Conteúdo

13 de abril de 2016 | 16h29

A seletiva foi vencida por Cameron McEvoy, de apenas 21 anos, que fez 21s44 na final e se colocou como favorito para ser o grande nome das provas de velocidade no Rio-2016. Depois de fazer a melhor marca da história sem trajes tecnológicos nos 100m livre - 47s04 -, ele assumiu o segundo lugar do ranking mundial dos 50m livre, a 0s02 do francês Florent Manaudou.

Se a má fase de James Magnussen, campeão mundial dos 100m livre em 2011 e 2013, é boa notícia para os velocistas brasileiros, a forma de Cameron McEvoy é uma real ameaça a Bruno Fratus na briga por medalhas nos 50m livre. Se o australiano repetir no Rio-2016 o que fez na seletiva nos 100m livre, é ouro na certa.

No feminino, Cate Campbell venceu a semifinal da seletiva australiana nos 50m livre com 23s93, terceira melhor marca de todos os tempos na prova, recorde em se considerando apenas os resultados obtidos sem o auxílio dos trajes tecnológicos, instituídos em 2008 e banidos em 2010.

O resultado aumentou a expectativa pela final da seletiva, uma vez que é Bronte Campbell, a irmã caçula de Cate, a atual campeã mundial e, em teoria, a que está em melhor momento. As duas irmãs já se garantiram no Rio-2016 nos 100m livre. Cate é a primeira do ranking mundial, seguida de Bronte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.