AP
AP

Bicampeão mundial na maratona aquática é suspenso por doping

Vladimir Dyatchin é mais um a ser suspenso em meio a escândalo de doping no esporte russo e ficará dois anos longe das águas

Estadão Conteúdo

12 de fevereiro de 2015 | 11h57

Dono de dois títulos mundiais da maratona aquática, o russo Vladimir Dyatchin foi suspenso por dois anos após ser flagrado em exame antidoping. Dyatchin testou positivo para uma substância proibida, em junho, que não foi identificada pela Agência Russa Antidoping.

O maratonista aquático russo negou ter se dopado, declarando que a substância deve ter entrado no seu corpo de modo acidental. A agência explicou que a punição imposta a Dyatchin pela Federação Russa de Natação é retroativa ao dia 4 de julho de 2014.

Dyatchin, de 32 anos, venceu a disputa da maratona aquática de 10 quilômetros nas edições de 2003 e 2007 do Mundial de Esportes Aquáticos, além de ter ficado na sétima colocação na disputa nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2102. Diante da punição, o atleta russo decidiu abandonar o esporte, se concentrando na organização de competições esportivas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.