Arnd Wiegmann/Reuters
Arnd Wiegmann/Reuters

Bicampeão olímpico e outros 3 russos são banidos dos Jogos de Inverno por doping

Alexander Zubkov perdeu suas duas medalhas de ouro no bobsled, enquanto Olga Fatkulina teve retirada sua prata no esqui. Olga Stulneva e Alexander Rumyantsev também foram punidos

Estadão Conteúdo

24 Novembro 2017 | 17h02

O escândalo de doping no esporte russo ganhou mais um episódio nesta sexta-feira. Quatro atletas do país, incluindo um bicampeão olímpico, foram banidos dos Jogos de Inverno pelo resto da vida após quebrarem as regras contra o uso de substancias proibidas. A informação foi anunciada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

+ COI pune mais quatro atletas russos por doping nos Jogos de Inverno

De acordo com a entidade, os quatro atletas testaram positivo para o uso de doping na Olimpíada de Inverno de Sochi, em 2014. Alexander Zubkov perdeu suas duas medalhas de ouro no bobsled, enquanto Olga Fatkulina teve retirada sua prata no esqui. Os outros punidos foram Olga Stulneva e Alexander Rumyantsev.

Com isso, já são 14 atletas russos banidos neste mês como parte de uma investigação de doping sistemático entre os atletas do país durante a Olimpíada de Sochi. De acordo com as acusações, laboratórios locais e oficiais de segurança estariam ligados ao esquema para garantir o seu sucesso.

Os muitos casos descobertos neste mês geraram consequências imediatas no quadro de medalhas dos Jogos de Sochi. A Rússia havia, originalmente, liderado o evento, mas diante das descobertas, caiu para nove medalhas de ouro, menos do que Noruega e Canadá. No total, o país tem agora 24 medalhas, atrás de Estados Unidos, Noruega e Canadá.

Os novos casos devem aumentar a pressão para que o COI puna severamente o país e o impeça de participar dos Jogos de Inverno de Pyeongchang, na Coreia do Sul, no ano que vem. Diante desta possibilidade, porém, o presidente da entidade, Thomas Bach, se apressou em pedir calma. "Muitas pessoas devem tentar aumentar a pressão. Elas estarão erradas", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.