Blatter elogia e mantém formato do Mundial de Futsal

A Fifa acredita ter encontrado, na edição 2012 do Campeonato Mundial de Futsal, vencida neste domingo pelo Brasil, o formato ideal para a competição. Pela primeira vez foram reunidas 24 seleções e este número será mantido para a próxima edição, em 2016.

AE, Agência Estado

18 de novembro de 2012 | 15h56

"É a primeira vez que disputamos (o Mundial) com 24 seleções. Este é o formato certo e continuaremos com ele no futuro", garantiu o presidente da Fifa, Joseph Blatter, em entrevista coletiva em Bangcoc (Tailândia), antes da final vencida pelo Brasil, na prorrogação, sobre a Espanha.

Sob a tutela da Fifa desde 1989, o Mundial de Futsal teve nas suas cinco primeiras edições o mesmo formato: 16 times reunidos em quatro grupos. Os dois primeiros de cada chave avançavam à segunda fase, quando as equipes eram reagrupadas em dois grupos para, depois, a semifinal e a final serem em formato de mata-mata.

A primeira mudança veio no Mundial de 2008, realizado no Brasil, com a presença de 20 times. A diferença foi que os grupos passaram a ser de cinco times. Mas, na edição deste ano, na Tailândia, veio outra novidade, com 24 seleções divididas em seis chaves e o mata-mata começando já nas oitavas de final.

A grande reviravolta na história da modalidade pode vir no ano que vem, quando o futsal pode ser incluído no programa dos Jogos Olímpicos, como uma disciplina dentro do futebol. Mas Blatter não parece muito otimista que a ideia seja aceita pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

"No futebol, já estamos em uma situação privilegiada, com 28 seleções - 12 femininas e 16 masculinas - disputando os dois torneios. A demanda está aumentando e o futsal é uma das modalidades que estamos tentando incluir nos Jogos. Mas, por ora, estamos na lista de espera", comentou ele.

O presidente da Fifa também pediu que as confederações nacionais ajudem a desenvolver o futsal. "É importante que, nas várias federações afiliadas à Fifa, sejam organizados campeonatos de futsal para desenvolver o esporte ainda mais. Deveríamos começar a desenvolver o futsal em nível nacional e no das confederações. Seria um primeiro passo para o desenvolvimento do esporte", comentou ele.

Tudo o que sabemos sobre:
futsalMundial de Futsal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.