Bobsled nacional faz fama em Salt Lake

A equipe brasileira de bobsled pode sair dos Jogos Olímpicos de Inverno sem um bom resultado, mas, com certeza, seus integrantes já alcançaram fama internacional. Cristiano Paes, Édson Bindilatti, Eric Maleson, Matheus Inocêncio e Rodrigo Palladino, os "bananas congelados", como são chamados pela população local, impressionam pela quantidade de entrevistas e autógrafos que são obrigados a dar. As conversas giram sempre em torno de como resolveram praticar um esporte típico de países frios.Desde que chegaram à Vila Olímpica, com pandeiro e cavaquinho, os brasileiros viraram atração, tocando samba e pagode, mas sem esquecer dos treinos. A pista oficial do bobsled só estará disponível na terça-feira, após o término da disputa do luge e do skeleton. Por enquanto, as equipes treinam em uma pista de atletismo e na sala de musculação da Vila Olímpica. "Estamos conseguindo manter a forma, pois temos uma boa estrutura aqui na Vila. Outro dia, a equipe da Suécia nos viu treinando e ficou bem preocupada, querendo saber quem era o nosso piloto", contou Cristiano, que, a exemplo de Rodrigo, Matheus e Édson, foi convocado por praticar atletismo de alto nível. A disputa do bobsled será nos dias 22 e 23.Nas alturas - O suíço Simon Ammann entrou nesta quarta-feira para a história dos Jogos de Inverno ao conquistar o ouro no salto de esqui K120. Ammann, que atingiu 140,5 metros no primeiro salto e 140,9 m no segundo, já havia levado o ouro também no salto de esqui K90. Antes dele, apenas o finlandês Matti Nykanen havia conseguido tal proeza, nos Jogos de Calgary, em 1988. O polonês Adam Malysz ficou com a prata e o finlandês Matti Hautamaeki, com o bronze.Nos 10 quilômetros do biatlo, que combina corrida e tiro, o norueguês Ole Einar Bjoerndalen conquistou o bicampeonato olímpico - ele já havia vencido a corrida de 20 km. O alemão Sven Fischer ficou com a prata e o austríaco Wolfgang Perner levou o bronze. Nesta quarta-feira, Bjoerndalen não errou um único tiro e terminou a prova em 24min51s03.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.