Bolt admite cansaço após ficar sem recorde no 4x100m

O velocista Usain Bolt não fugiu da responsabilidade neste sábado, após fracassar junto com o time da Jamaica em bater o recorde mundial no revezamento 4x100 metros no Mundial de Atletismo em Berlim, na Alemanha. Depois de conquistar dois ouros nos 100 e 200 metros rasos, ambos com novas marcas mundiais, Bolt queria fazer o mesmo no revezamento, mas admitiu que o cansaço o atrapalhou.

AE, Agencia Estado

22 de agosto de 2009 | 21h54

"Não conseguimos o recorde e acho que foi culpa minha. Estava um pouco cansado", disse Bolt, que foi o terceiro a correr no time da Jamaica. O revezamento do país caribenho fez o tempo de 37s31, ficando longe da marca estabelecida pelos próprios jamaicanos na Olimpíada de Pequim, de 37s10. "Eu estou tão cansado, estou morrendo. Estou feliz de pelo menos ter corrido em volta da pista para passar o bastão a Asafa [Powell]", completou o velocista com bom humor.

"Estou só tentando terminar a temporada sem lesões e depois sair de férias, ir para a noite, à praia, fazer todas essas coisas divertidas", continuou Bolt, falando sério e brincando ao mesmo tempo. "Eu só quero comemorar. Tenho que sair hoje [sábado] à noite. Eu não comemorei a semana inteira, então tenho que fazer algo", afirmou o jamaicano, que deixa Berlim na condição de astro, tendo confirmado o favoritismo nas duas provas individuais que disputou.

Além dos ouros e dos recordes mundiais, Bolt impressiona pela facilidade com que atinge seus feitos. Já comparado a lenda, o jamaicano negou que se considere também um fenômeno do esporte. "Não se pode acostumar a ganhar", disse o velocista. "Acho que apesar de tudo não sou uma lenda. Tenho que ir ano a ano, sendo campeão uma e outra vez."

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoMundialUsain Bolt

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.