Diego Azubel/EFE
Diego Azubel/EFE

Bolt celebra tetra no 4x100m e diz que EUA sucumbiram à pressão

Jamaicano festeja ouro e brinca sobre desclassificação dos rivais

O Estado de S. Paulo

29 de agosto de 2015 | 16h36

Com seu conhecido jeito "convencido" de ser, Usain Bolt atendeu a imprensa em tom de triunfo após liderar a equipe jamaicana na conquista do tetracampeonato mundial no revezamento 4x100 metros. O velocista brincou com os jornalistas e disse que o time dos Estados Unidos foram desclassificados porque sucumbiram à pressão.

"Eu falei para vocês que viria aqui para fazer o meu melhor novamente. Eu estava vindo para cá para conquistar novas medalhas de ouro, e foi o que eu fiz", declarou o jamaicano, contestado por parte da imprensa antes do Mundial de Pequim - o velocista vinha em má fase antes de brilhar na China.

Em Pequim, foram três medalhas de ouro: nos 100 e 200 metros e no 4x100m. Na prova vencida neste domingo, a Jamaica chegou a dar um duelo equilibrado com os EUA até os 300 metros, mas erros dos americanos abriram caminho para a vitória tranquila dos jamaicanos. Nickel Ashmeade, Nesta Carter e Asafa Powell completaram o time.

"Isso se chama pressão", definiu Bolt, ao justificar a derrota dos americanos. "Acontece quando há muita pressão para vir aqui e dar o seu melhor. E vimos o que aconteceu. Sabemos que o time dos EUA tende a entrar em pânico. A pressão atrapalha eles algumas vezes", comentou.

A pressão causou dano ao time americano na última passagem do bastão, de Tyson Gay para Mike Rodgers. O segundo antecipou o início da sua corrida e a passagem não foi completada quando Rodgers já ultrapassava o limite da zona da troca de bastão. A equipe americana, que cruzou a linha de chegada em segundo, acabou sendo desclassificada.

"Foi uma infelicidade. Tentamos dar o nosso melhor, mas infelizmente não conseguimos fazer a troca na zona da troca e foi o que aconteceu", lamentou Tyson Gay, um dos maiores velocistas da história. "Eu não sei se eu parti na hora certa, se saí antes do tempo. Na verdade, eu não sei o que aconteceu", disse Rodgers. "Acho que tivemos azar", declarou Gay.

Referência do time americano, Justin Gatlin admitiu que o nervosismo atrapalhou o rendimento da equipe. "Mike e Tyson se perderam naquele momento de tensão, naquele momento da expectativa do público, com muito barulho, eles não conseguiram ouvir um ou outro e ficaram fora da zona de troca do bastão", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.