Bolt corre pelo tri dos 200m em Moscou

Astro jamaicano tenta hoje se tornar o primeiro atleta a ganhar a prova três vezes na história da competição

AMANDA ROMANELLI, ENVIADA ESPECIAL / MOSCOU , O Estado de S.Paulo

17 de agosto de 2013 | 02h02

Usain Bolt veio ao Estádio Luzhniki a passeio ontem. Na primeira visita do dia à sede do Mundial de Moscou, pela manhã, fez 20s66 para chegar à semifinal dos 200m rasos. À tarde, mais animado, terminou o percurso em 20s12, sorrindo para o sul-africano Anaso Jobodwana, segundo colocado da semifinal. Hoje é o dia em que o jamaicano entrará na pista azul do estádio moscovita para valer. Às 13h05 (de Brasília), brigará pelo inédito tricampeonato mundial da prova.

"Estou feliz pela final. Agora quero ver quão rápido posso ser. Quero defender meu título", disse o jamaicano, campeão em Berlim-2009 e Daegu-2011 e vice em Osaka-2007, sua primeira medalha na história do campeonato.

Até agora, Bolt e Calvin Smith são os únicos a terem vencido a prova duas vezes de maneira consecutiva na história do torneio - o americano ganhou em 1983 e 1987. Michael Johnson também foi bicampeão, mas não de modo consecutivo (1991 e 1995). Caso o jamaicano conquiste o tricampeonato, faltará apenas um pódio (independentemente da posição) para que ele se iguale a Johnson e Carl Lewis como o maior medalhista dos Mundiais, com dez conquistas.

Bolt não fez esforço na série eliminatória e, por isso, seu tempo foi bastante ruim. "É que eu não sou uma pessoa matutina", brincou o jamaicano (a prova começou às 11h de Moscou). Ele afirmou que já se recuperou de um pequeno acidente sofrido durante um treino e que correu com uma proteção no pé direito. "Deixei o bloco de partida cair no meu pé, mas fiquei cuidando disso nos últimos quatro dias e não terei problemas."

Na semifinal, à tarde, Bolt novamente correu de forma descontraída, mas teve de controlar o ritmo no fim da prova. "Estava tentando desacelerar cedo, mas aí vi Jobodwana do lado. Como eu não queria perder, tive de manter (a velocidade) nos últimos 25 metros." O sul-africano foi à final com tempo um centésimo acima do de Bolt.

Os dois melhores tempos das finais são, também, os únicos abaixo dos 20 segundos. O americano Curtis Mitchell se classificou em primeiro, com 19s97, e o britânico Adam Gemili fez 19s98 - as duas marcas são recordes pessoais.

Bi repetido. O britânico Mo Farah igualou em Moscou o bicampeonato conquistado na Olimpíada de Londres. Depois do título dos 10 mil metros, no sábado, o fundista garantiu ontem o segundo ouro nos 5 mil, com o tempo de 13min26s98.

Nos 200 metros feminino, a jamaicana Shelly-Ann Fraser-Price, que afirmou ter se inspirado em Usain Bolt para ganhar o título dos 100 metros, agora poderá servir de motivação para seu compatriota - ontem, ela alcançou a dobradinha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.