Bolt diz que meta é ser dominante na Olimpíada do Rio

Jamaicano quer ganhar pela terceira vez seguida o ouro nos 100 metros e nos 200 metros

AMANDA ROMANELLI, Agência Estado

17 de agosto de 2013 | 15h52

MOSCOU - Após conquistar sua segunda medalha de ouro no Mundial de Atletismo, em Moscou, com a vitória nos 200 metros, Usain Bolt admitiu que sua meta é continuar vencendo e que os recordes mundiais podem mesmo ter ficado no passado. O jamaicano anunciou que seu principal objetivo é chegar na Olimpíada do Rio e fazer algo "ainda maior": ganhar pela terceira edição seguida dos Jogos o ouro nos 100 metros e nos 200 metros.

"Eu estou ficando velho, é difícil a cada temporada correr mais rápido", disse Bolt. "Eu fiz muito nos últimos anos, meu objetivo era ser uma lenda, e isso eu consegui o ano passado, em Londres. Minha meta agora é ganhar o maior número de medalhas, faz algo ainda maior, algo que ninguém nunca fez, que é ganhar pela terceira vez seguida o ouro nos 100 metros e nos 200 metros."

O jamaicano voltou a afirmar sua preferência pelos 200 metros, que além do inédito tricampeonato mundial, também lhe deu o primeiro pódio em um Mundial adulto, a prata em Osaka/2007. "Eu amo os 200 metros, todo mundo sabe, então a pressão é sempre maior. Eu fico mais nervoso, porque é uma prova que significa muito para mim. Os 100 metros são um grande show, é a prova que todo mundo quer ver, é onde estão os melhores, mas eu fico mais relaxado."

Bolt, que ainda vai correr o revezamento 4x100 metros neste domingo, disse que desacelerou nos últimos metros de prova por estar cansado. O velocista afirmou que as lesões têm atrapalhado seu desempenho nas marcas e, por isso, o foco é em vencer, não importando o tempo no cronômetro.

"Eu diminuí o ritmo nos últimos metros porque coloquei em prática o que aprendi com o meu técnico. Quando você começa a ficar cansado, não é para continuar forçando. É preciso desacelerar para não se machucar. Eu tenho outras provas na temporada e não quero me lesionar, eu quero continuar correndo."

A certeza da vitória também ajudou na hora de tirar o pé da corrida. Bolt afirmou que na altura dos 150 metros, é possível saber se você vai vencer ou não. "Olhei para a direita, vi a torcida, vi que Warren (Weir, segundo colocado) estava lá. Olhei para esquerda, não vi ninguém. Então sabia que iria vencer."

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoMundialUsain Bolt

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.