Bolt é confirmado porta-bandeira da Jamaica na abertura

O presidente do Comitê Olímpico da Jamaica, Michael Fennel, confirmou nesta quinta-feira que o velocista Usain Bolt, maior ídolo esportivo da nação caribenha, foi o escolhido para ser porta-bandeira do país na cerimônia de abertura da Olimpíada de Londres, que será realizada nesta sexta.

AE, Agência Estado

26 de julho de 2012 | 15h07

"Carregar a bandeira é uma honra. Faço qualquer coisa para o meu país, que eu tanto amo. E também é ma chance de aparecer na TV", brincou o velocista, conhecido pelo comportamento irreverente diante das câmeras. "Estou muito feliz, quero que amanhã [sexta-feira] chegue logo."

Bolt chega a Londres cercado de expectativa por conta dos seus feitos da última Olimpíada, em Pequim, em 2008. Ele venceu e bateu os recordes mundiais das provas dos 100 e 200 metros e também conquistou a medalha de ouro no revezamento 4 x 100 metros.

Mas o jamaicano logo tratou de diminuir a pressão sobre si. "Diria que o meu maior desafio é vencer. Quero medalhas de ouro. Esse é o meu foco. Não estou pensando nas outras pessoas. Quero fazer o que é necessário e vencer, isso é tudo", explicou.

Bolt negou que sua ausência no período de aclimatação da equipe jamaicana em Birmingham, nas últimas semanas, esteja ligada à lesão nas costas que o tirou de algumas provas em 2011. "Só não apareci para treinar na frente das câmeras porque meu técnico [Glen Mills] não quer que eu faça isso. Ele não gosta de câmeras. Estou pronto e estou feliz."

O principal adversário de Bolt em Londres deve ser o compatriota Yohan Blake, que o derrotou nos 100 e 200 metros nas seletivas jamaicanas. Questionado se o revés abalou a amizade entre eles, o campeão mundial e olímpico foi incisivo: "Não, isso nunca vai acontecer. Nós ficamos juntos do começo até o fim. Não faz diferença treinarmos separados, pois nos conhecemos muito bem".

Tudo o que sabemos sobre:
OlimpíadaatletismoUsain BoltJamaica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.