Bolt ganha ouro na volta ao Estádio Olímpico de Londres

Vitória nos 100m rasos em 9s85 estabelece a melhor marca do ano

AE, Agência Estado

26 de julho de 2013 | 18h18

LONDRES - Usain Bolt voltou em grande estilo ao Estádio Olímpico de Londres, onde conquistou três medalhas de ouro na Olimpíada do ano passado. Nesta sexta-feira, na capital britânica, ele venceu a prova dos 100 metros na 11ª das 14 etapas da Diamond League, circuito que reúne a elite do atletismo mundial. E ainda fez sua melhor marca do ano, com 9s85.

Até então, Bolt tinha como melhor marca em 2013 os 9s94 que fez no dia 21 de junho, na seletiva jamaicana para o Mundial de Atletismo. Assim, era apenas o sexto colocado no ranking da temporada. Agora, porém, passa a ocupar o primeiro lugar, desconsiderando os tempos do norte-americano Tyson Gay, que já fez 9s75, mas foi flagrado no doping.

Bicampeão olímpico e recordista mundial dos 100 metros (fez 9s58 em 2009), Bolt chegou até a sofrer uma inesperada derrota nesta temporada. Foi na etapa de Roma da Diamond League, no começo de junho, quando foi superado pelo norte-americano Justin Gatlin e teve que se contentar com a medalha de prata na prova. Em Londres, porém, não teve surpresa.

Como já é característico, Bolt não teve uma boa largada na prova desta sexta-feira. Mas conseguiu uma recuperação incrível e ultrapassou facilmente o norte-americano Michael Rodgers, que levou a prata com o tempo de 9s98. O também jamaicano Nesta Carter ficou com a medalha de bronze em Londres, ao cruzar a linha de chegada com a marca de 9s99.

A vitória em Londres dá ainda mais confiança para o astro jamaicano. Agora, ele parte para reconquistar o título dos 100 metros no Mundial de Atletismo - Moscou recebe a competição a partir do dia 10 de agosto. Na última edição do evento, há dois anos, em Daegu, na Coreia do Sul, Bolt foi desclassificado por queimar a largada.

Para facilitar ainda mais a tarefa de Bolt, alguns dos principais velocistas da atualidade não vão competir em Moscou. O jamaicano Yohan Blake, atual campeão mundial dos 100 metros, sofreu uma lesão, enquanto o também jamaicano Asafa Powell e o norte-americano Tyson Gay foram flagrados recentemente em exames antidoping e estão afastados.

Assim, o norte-americano Justin Gatlin aparece como único rival capaz de ameaçar mais um título de Bolt nos 100 metros. Mas, pela forma mostrada nesta sexta-feira na volta ao Estádio Olímpico de Londres, o astro jamaicano está bem preparado para brilhar novamente, daqui a duas semanas, quando começa o Mundial de Atletismo em Moscou.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoDiamond LeagueUsain Bolt

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.