Antonio Bat/EFE
Antonio Bat/EFE

Bolt vence 100 metros pela primeira vez após Mundial

Jamaicano venceu no Meeting de Zagreb, mas não conseguiu estabelecer a melhor marca do ano

AE, Agência Estado

13 de setembro de 2011 | 15h42

ZAGREB - O velocista Usain Bolt mostrou que a surpreendente eliminação nos 100 metros no Mundial de Atletismo, em agosto, na cidade de Daegu, não afetou o seu desempenho na prova. Nesta terça-feira, o jamaicano venceu a disputa dos 100 metros no Meeting de Zagreb, na Croácia, com o tempo de 9s85.

Recordista mundial e campeão olímpico dos 100 metros, Bolt era o favorito para faturar a medalha de ouro na final da prova no Mundial de Atletismo, mas foi eliminado por ter queimado a largada. Por isso, havia grande expectativa para a sua primeira disputa dos 100 metros após o Mundial.

Em Zagreb, Bolt dominou a prova desde o início e concluiu com o tempo de 9s85, o seu melhor nesta temporada. A marca, porém, é inferior a do compatriota Asafa Powell, que tem a melhor marca do ano, com 9s78, obtido em Lausanne, na Suíça. O melhor tempo de Bolt no ano era de 9s88, atingido em Mônaco. E seu recorde mundial, obtido em 2009, é de 9s58.

Bolt foi o único atleta a completar os 100 metros em menos de 10 segundos. Ele foi seguido por Kim Collins, de San Cristóvão e Névis, com o tempo de 10s01, e Richard Thompson, de Trinidad e Tobago, com 10s03.

OUTROS RESULTADOS - O cubano Dayron Robles superou o norte-americano Jason Richardson e venceu a disputa dos 110 metros com barreiras com o tempo de 13s00. Ele foi 4 centésimos de segundo mais rápido do que o atual campeão mundial. Em Daegu, o cubano venceu a prova, mas foi desclassificado por ter obstruído o chinês Liu Xiang.

No salto em altura, a russa Anna Chicherova repetiu o resultado do Mundial de Atletismo e bateu a croata Blanka Vlasic em Zagreb. Ambas atingiram 2,00 metros, mas a campeã mundial venceu a disputa por ter dado menos saltos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.