Bolt volta a correr amanhã

Após dias de agenda cheia de eventos, superatleta disputa os 100 m rasos no Meeting de Zurique

O Estadao de S.Paulo

28 de agosto de 2008 | 00h00

Maior fenômeno da Olimpíada ao lado do nadador norte-americano Michael Phelps, o velocista jamaicano Usain Bolt disse ontem, na Suíça, não estar preocupado com o tempo que vai registrar amanhã, nos 100 metros rasos do Meeting de Atletismo de Zurique. "Apenas vou fazer com que os torcedores se divirtam com minha performance", comentou. "Afinal, é para isso que eles estarão lá." Será a primeira competição de Bolt depois de conquistar três medalhas de ouro e estabelecer três recordes mundiais na China - entre eles excepcionais 9s69, nos 100 metros rasos. A melhor marca anterior já era dele, 9s72, registrada em 31 de maio, em Nova York. Antes, o recorde era de outro jamaicano, Asafa Powell, que havia corrido os 100 metros em 9s74, em setembro de 2007, na Itália.Segundo Glenn Mills, técnico de Bolt, o tempo poderia ter sido ainda mais impressionante em Pequim. Para tanto, seu atleta deveria ter mantido a concentração até o final - o campeão cruzou a linha de chegada já comemorando. "Ele reduziu o ritmo, caso contrário conseguiria pelo menos 9s52", afirma Mills, lembrando que o jamaicano passou a treinar para os 100 metros apenas neste ano. "Em mais duas temporadas, ele atingirá seu ápice na prova", alerta o treinador. "Tenho certeza de que vai melhorar o recorde."AGENDA CHEIAMills ressalta que, desde que Bolt se tornou sensação em Pequim, quase não encontrou mais tempo para treinar. Sua agenda tem sido ocupada com uma extensa série de compromissos com patrocinadores, encontros com a imprensa e respostas a solicitações do governo jamaicano. "Ele não conseguiu trabalhar nem descansar, mas ainda está em grande forma e vai oferecer um belo espetáculo", acredita o técnico. Para Bolt, essas atividades extras não são problema. "Nos últimos dias, tenho treinado um pouco e procuro fazer meu sangue se mexer mais rápido", diz, divertido com a situação inusitada. "Estou ansioso para competir de novo."Suas declarações, porém, não sugerem que haja intenção mais séria de estabelecer novas marcas históricas até o fim do ano. "Não há como ter metas assim depois do que houve na Olimpíada", afirma. "Tento, agora, apenas terminar a temporada sem me contundir, voltar para casa e curtir", avisa.Bolt também tem consciência de seu papel no resgate da credibilidade do atletismo, depois de duas décadas de escândalos por doping. "É algo muito bom que realizo, espero que outras pessoas vejam isso."Os suíços demonstram enorme interesse pelo Meeting de Zurique. Há bom tempo os 26 mil ingressos colocados à venda estão esgotados. A próxima apresentação de Bolt será mais uma vez na Suíça, na terça-feira. O jamaicano vai correr em Lausanne, onde disputa os 200 metros rasos. Dia 5, em Bruxelas, participa do último meeting antes de regressar à Jamaica, onde já é herói nacional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.