Bondarenko é ouro no salto em altura no Mundial

Apoiado por milhares de torcedores ucranianos no Estádio Luzhniki, Bohdan Bondarenko conquistou nesta quinta-feira a medalha de ouro do salto em altura no Mundial de Atletismo, que está sendo realizado em Moscou. O ucraniano foi o único competidor a superar a marca de 2,41 metros, na sua segunda tentativa, e até tentou quebrar o recorde mundial, mas não teve sucesso.

AE, Agência Estado

15 de agosto de 2013 | 15h17

O catariano Mutaz Essa Barshim garantiu a medalha de prata, com 2,38 metros. A marca foi a mesma do canadense Derek Drouin, que se contentou com o bronze, pois só superou esta marca no seu segundo salto, ao contrário do atleta do Catar.

Com o título mundial garantido após ser o único a passar dos 2,41 metros e ver Barshim fracassar em uma ousada tentativa de saltar 2,44 metros, Bondarenko buscou, então bater o recorde mundial do cubano Javier Sotomayor, de 2,45 metros, alcançado em 27 de julho de 1993, em Salamanca. Mas o ucraniano não conseguiu superar a marca de 2,46 metros nas suas três tentativas.

Também nesta quinta, a Colômbia conquistou pela primeira vez uma medalha de ouro em um Mundial de Atletismo. Caterine Ibarguen foi a responsável pelo feito ao vencer a disputa do salto triplo com 14,85 metros. A russa Ekaterina Koneva ficou na segunda colocação, quatro centímetros atrás. Já a ucraniana Olha Saladuha atingiu 14,65 metros para garantir a terceira posição.

O queniano Ezekiel Kemboi faturou o tricampeonato mundial nos 3 mil metros com obstáculos ao marcar o tempo de 8min06s01. Assim, o campeão olímpico de 2004 e 2012 foi apenas 0s36 mais rápido do que o compatriota Conseslus Kipruto, que terminou na segunda colocação. Já o francês Mahiedine Mekhissi ficou em terceiro lugar.

A disputa masculina dos 400 metros com barreiras foi vencida por Jehue Gordon, com o tempo de 47s69 e uma vantagem de 0s01 para o segundo colocado, o norte-americano Michael Tinsley. Após a prova, os dois caíram no chão e aguardaram o resultado, favorável a Gordon. Já o sérvio Emir Bekric completou o pódio, na terceira colocação.

Já a versão feminina dos 400 metros com barreiras foi vencida pela checa Zuzana Hejnova, que marcou 52s83, mais de 1 segundo à frente da segunda colocada, a norte-americana Dalilah Muhammad. Lashinda Demus veio logo atrás.

A sueca Abeba Aregawi faturou a medalha de ouro na disputa dos 1.500 metros ao marcar o tempo de 4min02s67. A prata ficou com a norte-americana Jenny Simpson, que era a atual campeã mundial e liderou quase toda a prova, mas acabou sendo ultrapassada nos 300 metros finais. A queniana Hellen Onsando Obiri completou o pódio.

Com o fim de mais um dia de competições em Moscou, o quadro de medalhas é liderado pelos Estados Unidos, com quatro ouros, oito pratas e dois bronzes. Quênia e Rússia estão empatados na segunda colocação, com três ouros, três pratas e dois bronzes. Já o Brasil ainda não subiu ao pódio no Mundial de Atletismo, que se encerrará no próximo domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.