Borges mantém o São Paulo na briga

Atacante faz o gol da vitória sobre o Guarani, que põe o time em 5.º

Wilson Baldini Jr., O Estadao de S.Paulo

24 de março de 2008 | 00h00

O São Paulo manteve tabu de 11 anos sem derrota para o Guarani ao vencer o adversário de Campinas por 1 a 0, ontem à tarde, no Estádio Brinco de Ouro. Mas o time do Morumbi segue fora dos quatro primeiros classificados, que irão decidir o título paulista. A três rodadas do fim da primeira fase, está na 5ª colocação, com 29 pontos, um a menos que o Corinthians. O Guarani segue no 17º lugar, com 14 pontos , e viu aumentar o perigo de rebaixamento.''O resultado foi importante, porque precisávamos voltar a vencer. Agora, precisamos voltar a convencer'', disse o atacante Borges, que saiu do banco de reservas e só precisou de um minuto para pegar na bola e decidir o jogo, com um bonito chute de fora da área. Essa não é a primeira vez que Borges decide um jogo a favor do São Paulo. Contra Paulista e Barueri, o atleta marcou os gols da vitória são-paulina.O atual bicampeão brasileiro terá três adversários teoricamente fáceis nas últimas rodadas. Enfrenta o Sertãozinho, na quinta-feira, no Morumbi, viaja até Bragança para encarar o Bragantino e fecha a participação na 1ª fase contra o Juventus, em casa. Ainda tem, portanto, boas chances de classificação.Diante do Guarani o São Paulo foi um time com mais mobilidade. Aloísio voltou a fazer o pivô diante da zaga adversária para a chegada de Dagoberto. Carlos Alberto, que sofreu marcação individual, fez boas tabelas com Jorge Wagner. Mas faltou penetração na área. E a equipe pouco finalizou. Foram apenas quatro chutes no primeiro tempo, sendo os dois últimos nos acréscimos do juiz.CONTRAGOLPESApesar da falta de qualidade técnica, o Guarani teve a melhor chance da primeira etapa. Em rápido contra-ataque, Fabinho surgiu livre na frente de Rogério Ceni, mas chutou nas mãos do goleiro. ''Temos de finalizar mais, errar menos passes e evitar os contra-ataques do Guarani'', disse o zagueiro André Dias, preocupado, no intervalo. Das três observações, o time do São Paulo só evitou os contragolpes. Continuou a não importunar o goleiro Gisiel e seguiu tocando mal a bola.A torcida são-paulina, que viajou até Campinas, começou a gritar o nome de Borges (estava no banco de reservas). Muricy atendeu ao pedido das arquibancadas aos 26 minutos e deu sorte. Borges entrou no lugar de Carlos Alberto e com menos de um minuto em campo recebeu a bola na intermediária. Marcado, girou rápido e acertou forte chute no canto direito de Gisiel: 1 a 0. Com a vantagem no placar, o São Paulo se fechou e deixou o Guarani tomar a inofensiva iniciativa.Hernanes e Richarlyson, na seleção brasileira, não enfrentam o Sertãozinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.