Saeed Khan/ AFP
Saeed Khan/ AFP

Boris Becker pede maior compromisso contra o racismo na Alemanha

Ex-tenista alemão foi insultado nas mídias sociais por ter participado de uma manifestação anti-racista

AFP, O Estado de S.Paulo

08 de junho de 2020 | 16h44

O ex-tenista alemão Boris Becker, insultado nas mídias sociais por ter participado de uma manifestação anti-racista, lamentou que seu país não fale "mais abertamente" sobre o assunto, em uma mensagem de vídeo postada no Twitter nesta segunda-feira.

"Estou chocado, assustado com os inúmeros insultos que vieram somente da Alemanha devido ao meu apoio à manifestação #BlackLivesMatters de ontem em Londres", escreveu o ex-campeão de 52 anos nas redes sociais no domingo, e se questionou: "Nós nos tornamos um país de racistas?"

Nesta segunda-feira, ele voltou ao tópico das manifestações nos Estados Unidos e em todo o mundo, após o assassinato no final de maio de George Floyd, o americano negro de 46 anos que foi sufocado por um policial branco de Minneapolis que apoiou seu joelho sobre o pescoço da vítima.

"Em nossa casa (na Alemanha), varremos um pouco tudo isso e colocamos debaixo do tapete, e é uma pena. Deveríamos conversar sobre isso muito mais abertamente", disse ele.

Suas mensagens no Twitter também suscitaram muitos comentários positivos.

No sábado, manifestações em homenagem a George Floyd reuniram milhares de pessoas na Alemanha, incluindo 10.000 em Berlim, 8.000 em Frankfurt e Hamburgo e 7.000 em Munique, segundo dados da polícia.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Boris Beckertênisracismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.