Bota tenta mudar enredo contra Fla

Alvinegro vem de duas derrotas consecutivas em decisões contra o rival, que busca o 5.º tri da história

Leonardo Maia, RIO, O Estadao de S.Paulo

25 de abril de 2009 | 00h00

Esse filme já passou duas vezes e não é de boa lembrança para os botafoguenses. Pelo terceiro ano consecutivo, o Campeonato Carioca será decidido por Flamengo e Botafogo, numa final em duas partidas. O primeiro embate será hoje, às 16 horas, no Maracanã, e, como nos anos anteriores, não há vantagem para nenhuma das equipes - em caso de empate, o troféu será decidido nos pênaltis.O Botafogo corre atrás de seu 19º título carioca, enquanto o Rubro-Negro quer se colocar no topo da lista histórica com a 31ª conquista. O Flamengo busca o tricampeonato estadual pela quinta vez em sua história, o segundo nesta década. Já o Alvinegro, campeão em 2006 e em sua quarta decisão consecutiva, faz de tudo para evitar outro vice-campeonato. Desta vez, porém, há inversão no banco de reservas. O técnico Cuca, que comandou as duas últimas campanhas alvinegras, agora tenta conquistar o primeiro título da carreira como treinador do outro lado. Ney Franco, campeão com o Flamengo em 2007, tenta levar sua fama de vitorioso para o Botafogo, sempre visto como o time do "quase". Esses aspectos só apimentam o clássico e destacam a rivalidade entre os dois times, que vêm crescendo nos últimos anos, justamente pelos vários embates por títulos. Cuca sempre se mostra arredio quando questionam a ausência de títulos em seu currículo. Agora, considera ter sua melhor chance, já que comandará uma equipe com elenco teoricamente superior ao adversário. Apesar de negar a condição de favorito, Cuca confia na experiência do grupo, veterano em decisões. "Nós temos um grupo maduro, que está acostumado a disputar decisões. Isso é muito bom", afirma o treinador. "Mas temos de estar muito preparados para o jogo, porque será um confronto difícil." Ney Franco, por sua vez, deposita as esperanças no trio ofensivo formado por Maicosuel, Victor Simões e Reinaldo, ciente das fragilidades em outros setores do time, principalmente na zaga. Sabe, no entanto, que a equipe não pode ficar refém dos três jogadores. Na final da Taça Rio, o trio foi anulado pela marcação rubro-negra. O time parou. "O importante é não criarmos uma dependência desses jogadores. Preciso elaborar mais alternativas ofensivas, para que eles não sejam neutralizados novamente", comenta o técnico, que prevê um confronto franco. "Espero um jogo mais aberto, com mais chances de gols do que na final da Taça Rio." As equipes terão praticamente suas forças máximas. No Flamengo, a única ausência é Airton, com uma contusão no tornozelo direito. O atleta deve ser substituído por Everton Silva. O Botafogo não terá o lateral Thiaguinho, suspenso. Em seu lugar entra Gabriel. O QUE ELES DISSERAMCucatécnico do Flamengo"Nós temos um grupo maduro, que está acostumado a disputar decisões. Isso é muito bom. Será um confronto difícil"Ney Francotécnico do Botafogo"Espero um jogo mais aberto, com mais chances de gols do que na final da Taça Rio" "Preciso elaborar alternativas ofensivas"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.