Botafogo tenta se livrar do estigma de ser vice do Fla

Nos últimos anos, o confronto entre Botafogo e Flamengo se tornou a rivalidade mais acirrada do futebol carioca por causa dos inúmeros duelos entre ambos em decisões - foram três finais estaduais consecutivas, todas vencidas pelos rubro-negros, além das disputas de turno - e ao equilíbrio dos jogos. Hoje, às 16 horas, no Maracanã, os rivais voltam a se enfrentar em partida decisiva, que pode definir o título do Campeonato Carioca.

Leonardo Maia / RIO, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2010 | 00h00

Assim como no ano passado, o Botafogo entra em campo contra o Flamengo para levar a Taça Rio como campeão da Taça Guanabara. Caso triunfe, levanta o título por antecipação. Vitória do oponente força a finalíssima em duas partidas entre os campeões de turno. Se isso ocorrer, o Flamengo vai lutar pelo tetracampeonato estadual.

Este ano os clubes entram pressionados em campo. Especialmente o Flamengo. O time do técnico Andrade vive semana turbulenta, com a vida na Taça Libertadores a perigo e rumores de crise entre seus jogadores.

Durante a derrota para o Universidad Católica, por 2 a 0, na quarta-feira, o goleiro Bruno teria tentado agredir o meia Petkovic, pedindo empenho. Os alvinegros, porém, procuram não se deixar levar pela turbulência no rival e pregam respeito.

"Não acho que terá influência. O Flamengo é o atual tricampeão, venceu o último Brasileiro e sabemos que é um adversário qualificado. Será um jogo muito brigado. Precisamos ser inteligentes para sair com a vitória", disse o uruguaio Sebastian Abreu.

Além disso, Andrade tem algumas dúvidas para armar o time. A principal delas é Adriano. O atacante se diz recuperado de dores nas costas que o afastaram das últimas três importantes partidas do time. Ele deve ir a campo. "Estou me sentindo muito bem. Só não jogo se Deus não quiser", garantiu Adriano.

"Seria bom que eles colocassem o que têm de melhor e nós também. O espetáculo foi feito para isso. Que o Flamengo venha completo, e nós também, para medirmos forças mais uma vez", disse Joel Santana, técnico botafoguense.

"Adriano é um craque e sempre representa perigo", comentou Abreu, que apesar de ser cara nova para esta temporada sabe que o Botafogo também entra com muita responsabilidade.

Contra os vexames. Além dos três vices consecutivos, o time de Joel foi desclassificado da Copa do Brasil de forma vexatória pelo Santa Cruz, em pleno Engenhão. A ferida ainda está aberta e só cicatrizará em caso de título. Outro insucesso deixará a equipe muito pressionada para A nova finalíssima com os rivais.

O Botafogo está completo para o confronto, mas o Flamengo tem desfalque certo. O lateral Juan, suspenso. Na zaga, Álvaro dificilmente terá condições de atuar e Michael é problema.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.