Bovespa sobe e retorna aos 65 mil pontos

Com um rali de última hora, a Bolsade Valores de São Paulo fechou em alta pela quarta sessãoconsecutiva nesta segunda-feira. O Ibovespa --principalindicador do mercado-- avançou 0,61 por cento e terminou asessão cravado nos 65 mil pontos. Depois de abrir em queda, o Ibovespa oscilou perto daestabilidade na maior parte do dia e se firmou no azul no finalda tarde, à medida que as bolsas norte-americanas estendiam osganhos. Em Nova York, o índice industrial Dow Jones subiu 1,53por cento. A agência de classificação Standard & Poor's retirou orating da MBIA de observação com tendência negativa, citando osucesso da seguradora de bônus para captar novos recursos. Além disso, o mercado recebeu com otimismo a informação deque a Ambac, outra importante seguradora norte-americana debônus, pretende apresentar um plano de resgate financeiro até apróxima semana. "Isso deu algum alívio ao mercado", observou o gestor derenda variável da GAP Asset Management, Carlos Camacho. Na bolsa paulista, o ritmo de alta foi puxado pelas açõesde empresas de telefonia. As ordinárias da TIM Participaçõesavançaram 6,28 por cento, a 9,64 reais, enquanto aspreferenciais da Vivo subiram 4,78 por cento, para 11,19 reais. Com a alta desta segunda-feira, o Ibovespa acumula variaçãopositiva de 1,74 por cento em 2008. O índice só não subiu maisnesta sessão porque a ação mais importante da carteira, apreferencial da Petrobras, teve baixa de 0,06 por cento,negociada a 84,25 reais.Para o analista José Francisco Cataldo, da Real Corretora, oclima segue positivo para o mercado brasileiro, mas o mercadopode enfrentar volatilidade nos próximos dias, à medida quesurgirem novos indicadores sobre a economia dos EUA. "Agora, para mudar de patamar tem que surgir alguma coisanova de maior relevância", disse. (Por Aluísio Alves)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.