Rob Schumacher/ USA Today Sports
Rob Schumacher/ USA Today Sports

Boxe amarga mais 2 eliminações e tem pior desempenho em 20 anos

Com uma medalha, Brasil iguala Pan de Mar del Plata, em 1995

Estadão Conteúdo

21 de julho de 2015 | 21h37

Acelino Freitas ainda era um boxeador amador quando o boxe brasileiro teve um resultado pior do que aquele que está obtendo nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Em Mar del Plata (1995), o depois campeão mundial Popó garantiu a única medalha (de prata) do País. No Canadá, o Brasil vai ganhar só duas medalhas, uma queda expressiva na comparação com as sete obtidas em Guadalajara, igualando o resultado de Santo Domingo (2003), quando ainda não existia o boxe feminino.

Nesta terça-feira, mais dois brasileiros foram eliminados, ambos por venezuelanos. O meio-pesado Michel Borges perdeu de Albert Duran por decisão unânime dos árbitros - todos viram 30 a 26, o que indica que o brasileiro foi atropelado em pelo menos um dos rounds na opinião dos juízes.

O meio-médio Roberto Queiroz foi superado por Gabriel Maestre, pelo mesmo resultado, com a diferença que um dos árbitros entendeu que o venezuelano massacrou o brasileiro em não só um, mas em dois rounds.

A única vitória do dia foi de Joedison Teixeira, o Chocolate, que começou sua trajetória na categoria meio-médio ligeiro vencendo o mexicano Raul Curiel por decisão unânime dos árbitros. Substituto do agora profissional Everton Lopes, o paulista de apenas 21 anos estreou nas quartas de final e, como já está na semifinal, garantiu ao menos o bronze. Vai disputar um lugar na final, quarta, contra Yasnier Toledo, de Cuba.

O outro brasileiro vivo é o superpesado Rafael Lima, que também estreou nas quartas de final e faz semi na quinta, contra Edgar Muñoz Mota, mais um venezuelano. Curiosamente, ele e Chocolate são os dois únicos atletas que viraram titulares da seleção neste ano.

Antes, haviam sido eliminados o peso galo Carlos Rocha, que perdeu para o cubano Andy Cruz, o mosca Julião Neto, que perdeu de Eddi Barillas, da Guatemala, e o pesado Juan Nogueira, superado por Sammy Elmais, do Canadá. Já a única brasileira no boxe feminino do Pan foi eliminada na estreia. Flávia Figueiredo teve azar no sorteio e logo de cara teve que enfrentar a norte-americana Claressa Shields, atual campeã olímpica e mundial do peso médio.

O boxe brasileiro está muito desfalcado em Toronto. Robenilson de Jesus, Robson Conceição e Patrick Lourenço estão participando de uma liga semi-amadora da Federação Internacional de Boxe Amador (Fiba) e, por terem compromissos em datas próximas do Pré-Pan, foram proibidos de lutar a seletiva.

Como a seleção tem poucos atletas, a Confederação Brasileira de Boxe (CBBoxe) não tinha substitutos para levar ao Pré-Pan e ficou sem vaga em Toronto nas categorias mosca ligeiro e leve. A exceção foi Carlos Rocha, que foi à seletiva em substituição a Robenilson e se classificou para o Pan.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-Americanosboxe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.