JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Boxeador baiano defende título mundial conquistado em 'roubada' na Argentina

Adeilson 'Del' dos Santos faz uma das preliminares mais interessantes na programação que se encerra com a estreia de Yamaguchi Falcão como profissional

Alessandro Lucchetti, O Estado de S. Paulo

24 de janeiro de 2014 | 20h07

SÃO PAULO - A grande atração da noitada de boxe da Arena Santos, neste sábado, sem dúvida é a estreia do medalhista olímpico Yamaguchi Falcão, que lutará contra o argentino Martin "El Terrible" Rios, pela categoria médio. Mas a programação inclui outras duas lutas que deverão agradar aos fãs de boxe, com cinturões em disputa.

O pena (até 57,2kg) Adeilson dos Santos, o "Del", coloca em jogo seu título mundial juvenil, versão Conselho Mundial de Boxe, contra o argentino Carlos Gaston Suárez. Del faturou o título em setembro, com muitos méritos, em cima de outro argentino, Marcos "Maquinita" Martinez. Tudo conspirava contra o baiano, que havia sido campeão brasileiro em julho. Poucos meses antes, havia saído do anonimato com o título paulista.

Foi uma autêntica "roubada": Del e seu staff desembarcaram em Buenos Aires e de lá viajaram por sete horas, num carro velho cedido pelos organizadores, até Paraná, a capital da província de Entre Ríos. "O carro até morreu e tiveram que empurrar. Eu não ajudei a empurrar, porque senão chegaria muito cansado para a luta".

Dentro do ringue do Club Atletico Echague, Del sabia que teria que derrubar o adversário. Se a luta fosse decidida pelos jurados, fatalmente seria dada a vitória ao pugilista local. Dominado no primeiro assalto, o brasileiro encaixou um golpe descrito por um jornal local como "un soberbio derechazo" no segundo round. "Eles iriam me garfar se a luta fosse decidida por pontos. Então eu tentei derrubá-lo desde o começo. 'La Maquinita' é baixinho, então pude usar minha maior envergadura e joguei na distância", diz o baiano de Itaperoá, que se distingue pela inteligência para ler taticamente as lutas.

Fã de Popó, Del sabe que Suárez virá babando para tomar seu cinturão. "Ele vai querer arrancá-lo de mim, mas vou dar o meu sangue. Ele não vai levar, não", promete o lutador, que já se virou como ajudante de pedreiro e vendedor de sorvetes.

Descoberto pelo treinador e ex-boxeador Edson "Xuxa" Nascimento em Monguaguá, onde morava, Del agora pertence à equipe IBF (International Boxing Group), do empresário Edu Mello, principal mecenas do boxe brasileiro.

Além do pequeno Del, o brutamontes Irineu Beato dos Santos, o "Negro Tei", melhor sul-americano nos rankings dos pesados (15º na OMB), coloca em jogo o cinturão latino da Organização Mundial de Boxe contra o argentino Daniel Sanabria.

Revelado num projeto social mantido por Adilson "Maguila" Rodrigues, Irineu confia na forte pegada para conquistar mais uma vitória. "Tei", segundo Irineu, é o som de seus golpes. 

Tudo o que sabemos sobre:
boxe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.