Boxeador diz ter sido ameaçado para perder luta

O boxeador argentino Sergio Medina afirmou ter sido ameaçado de morte caso não perdesse a luta para o porto-riquenho Juan Manuel López, no último sábado, em Las Vegas, na disputa do título dos peso-galo da Organização Mundial de Boxe (OMB).Medina declarou à rádio Áries, da Argentina, que o teriam ameaçado para perder logo no primeiro assalto e que não sairia dos Estados Unidos se não caísse. As ameaças teriam ocorrido durante a pesagem para a luta, que antecedeu o confronto entre o filipino Manny Pacquiao e o norte-americano Oscar De La Hoya, vencida por Pacquiao.Ao ser perguntado de onde teriam partido as ameaças, Medina não hesitou: "da organização e também do rival, os dois estavam unidos nisto", disse o boxeador. "Sabe-se que havia uma casa de apostas que pagava uma certa quantia de dinheiro se Juan ganhasse no primeiro assalto. Acho que estava programado desta maneira", assegurou.Medina afirmou também que os organizadores o ameaçaram de não lhe pagar o valor estipulado pela luta - US$ 60 mil (R$ 149 mil) -, caso não caísse no primeiro assalto. "O que mais me dói é que eu estava preparado para os 12 assaltos, mas eu tive que me retirar, pois sentia muito medo. Eu estava nervoso antes da luta e, na verdade, não queria lutar. Não via a hora de tudo acabar", lamentou Medina.Medina falou também que não fez a denúncia nos Estados Unidos porque teve medo, mas assegurou que é tudo verdade. "Juro pelas minhas filhas que o que eu estou dizendo é absolutamente verdade." A derrota para o porto-riquenho Juan Manuel López foi a segunda de Medina em 35 lutas na carreira. Antes de ser nocauteado com uma seqüência de golpes de López, o argentino chegou a cair três vezes no ringue.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.