Elaine Thompson/AP
Elaine Thompson/AP

Bralon Taplin é suspenso mais uma vez e só vai poder voltar às pistas em 2026

Atleta foi suspenso por três anos por não ter sido localizado em três exames antidoping

Redação, Estadao Conteudo

27 de dezembro de 2020 | 12h24

O atleta Bralon Taplin, de Granada, foi suspenso por três anos por não ter sido localizado em três exames antidoping no período de um ano. Com isso, o finalista na prova dos 400 metros na Olimpíada do Rio, em 2016, soma sete anos a serem cumpridos de punição.

Aos 28 anos, Taplin só poderá competir novamente em setembro de 2026. Em 2019, o atleta sofreu a primeira punição, de quatro anos (até 29 de setembro de 2023), após fugir de um controle de doping em abril daquele ano.

Sétimo colocado na final olímpica dos 400 metros na Rio-2016, com o tempo de 44s45, Taplin não foi encontrado pelo controle antidoping em três oportunidades este ano: em 21 de abril, 28 de agosto e 25 de novembro de 2019.

O atual campeão olímpico dos 400 metros é o sul-africano Wayde van Niekerk 43s03. A prata ficou com Kirani James, de Granada, seguido por 43s76, seguido pelo norte-americano LaShawn Merritt (43s85).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.