Francois Xavier Marit/ AFP
Francois Xavier Marit/ AFP

Brandonn Almeida e time do revezamento medley vão à final no Mundial de Budapeste

Brasileiro busca conquistar medalha na disputa dos 400 metros medley

Estadao Conteudo

30 de julho de 2017 | 09h06

O Brasil vai se despedir do Mundial de Esportes Aquáticos, na tarde deste domingo, com duas finais na natação. Brandonn Almeida vai tentar a medalha nos 400 metros medley, enquanto a equipe brasileira do revezamento 4x100m medley, com Bruno Fratus, tentará surpreender a partir das 12h30 na Danúbio Arena.

Brandonn vai disputar sua primeira final em Mundial de piscina de 50 metros ao registrar o quinto melhor tempo da disputa eliminatória, com 4min13s13. O mais rápido foi o norte-americano Chase Kalisz, com 4min09s79.

"Achei um resultado muito bom. Queria fazer o tempo para estar na final e consegui. De manhã eu não nado tão bem, mas esqueci disso e vim. Agora à tarde vamos dar o máximo e ver o que sai. Sabia que se ficasse até quarto (lugar, na série) daria para entrar na final, então briguei até o fim e dei meu máximo", comentou o nadador.

O revezamento brasileiro no medley também obteve o quinto tempo pela manhã. Guilherme Guido nadou o estilo costas, enquanto Felipe Lima esteve no peito, Henrique Martins completou a distância do borboleta e Bruno Fratus, medalhista de prata nos 50m livre no sábado, completou o revezamento com o nado livre. Na final, Martins e Fratus serão substituídos por João Gomes Júnior e Marcelo Chierighini.

No feminino, o Brasil caiu na piscina nesta manhã com Joanna Maranhão. Ela foi a 11ª colocação nos 400 metros medley, com o tempo de 4min41s29). Assim, ficará de fora da final, no período da tarde.

"Esse tempo é o meu melhor em eliminatórias de Mundial. Era o que tinha pra hoje. Um 400m medley na última etapa não dá pra analisar muito o tempo não. Todo mundo piorou, mas na posição em que estou no ranking, entre o 11º e o 20º lugar, tem que fazer o seu melhor tempo pra entrar", avaliou a brasileira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.