Brasil: 3 medalhas em Moscou

Diego Hypolito ganhou no solo e Ethiene Franco conquistou dois bronzes, na trave e no solo

, O Estadao de S.Paulo

30 de maio de 2009 | 00h00

O Brasil ganhou três medalhas nas finais de ontem da etapa da Copa do Mundo de Ginástica de Moscou. Diego Hypolito manteve seu desempenho no solo com mais uma vitória. Ethiene Franco brilhou, com duas medalhas de bronze, uma na trave e outra no solo e participação em outras duas finais do evento.Para Diego, o ouro na Rússia proporcionou a oportunidade de fazer uma homenagem. " Hoje (ontem) é aniversário do meu pai (Wagner Hypolito), que está fazendo 52 anos. Dedico essa medalha para ele", declarou o ginasta, que já ganhou três ouros no solo em quatro etapas da Copa do Mundo. Na única competição que não venceu, foi medalha de prata. "Minha série foi muito bem executada, com a nota de partida saindo de 16,60. Fiz o Hypolito 1 na primeira passada, e estou muito satisfeito com o meu desempenho, que me manteve na liderança do ranking mundial desse aparelho. Já pensando no Mundial de Londres, pretendo dificultar a minha última passada, para aumentar a minha nota de partida que seria 16,70", afirmou Diego, que apresentou seu novo movimento, o Hypolito 2 na eliminatória. A prata em Moscou ficou com o russo Anton Golotsutskov (15,550) e o bronze com o israelense Alex Shantilov (15,250).Diego, no entanto, não teve bom desempenho no salto, prova na qual já ganhou um ouro e uma prata este ano. Ficou na última colocação, nota 15,262. "Fiz um segundo salto mais difícil e tive uma falha que me tirou da disputa", admitiu Diego. A vitória foi de Golotsutskov (15,887). Sérgio Eras, outro brasileiro nas finais em Moscou, também ficou em oitavo lugar em sua apresentação nas argolas com a nota 13,650. O ouro ficou com o holandês Yury Gelder (15,600).DESTAQUEEthiene Franco não se intimidou com o fato de representar sozinha o Brasil em um dos grandes centros da ginástica mundial. Ontem ficou com o bronze na trave e no solo e foi às finais do salto e das barras paralelas assimétricas, ou seja, participou de todas as finais por aparelhos na Rússia.Ontem, no salto, Ethiene Franco foi superada apenas por Sanne Wevers, da Holanda (14, 175) e a eslovena Adela Shajn (14,050). A brasileira conquistou a nota 13,950. No solo, a vencedora foi a russa Anna Myzdrivkova (14,125), seguida novamente por Shajn, (14,075). Em sua apresentação, Ethiene ganhou a nota 13,750 dos juízes. Nas outras duas finais, Ethiene ficou em sexto lugar no salto (13,425) e nas assimétricas teve uma colocação um pouco melhor, quinto lugar (13,575). Nos dois aparelhos as melhores do dia foram ginastas russas. Ekaterina Kurbatova foi o destaque no salto (14,587) e Kristina Goryunova foi a melhor nas assimétricas (14,325).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.