Divulgação
Divulgação

Brasil arrasa também com a equipe masculina e é ouro no Pan de Judô

Após conquistar 16 medalhas no individual, lutadores conquistaram um ouro e um bronze por times

AE, Agência Estado

22 de abril de 2013 | 09h21

SAN JOSÉ - O Brasil encerrou a sua participação no Campeonato Pan-Americano de Judô com a conquista de mais duas medalhas em San José, na Costa Rica. Após faturar oito ouros, duas pratas e seis bronzes na competição individual, os lutadores foram campeões na disputa por equipes masculinas e bronze no torneio de equipes femininas.

Com um time formado por Luiz Revite, Charles Chibana, Victor Penalber, Tiago Camilo e Rafael Silva, a equipe brasileira venceu o Canadá por 5 a 0 na final, com cinco ippons por projeção. Antes disso, passou por Cuba (3 a 2), Argentina (5 a 0) e República Dominicana (5 a 0). O bronze ficou com Cuba e Venezuela.

"A equipe masculina foi impecável. Tivemos a superação com o Tiago que descontou a derrota no individual para o Asley Gonzalez. E conseguimos também a afirmação com o Penalber e o Revite que decidiram duas vezes com o mesmo adversário e venceram nas duas", disse Ney Wilson, gestor técnico das equipes adultas do Brasil.

Já Érika Miranda, Ketleyn Quadros, Rafaela Silva, Maria Portela e Rochele Nunes conquistaram apenas a medalha de bronze na disputa feminina. A equipe brasileira passou por Guatemala (5 a 0) e Cuba (4 a 1), mas perdeu para os Estados Unidos (3 a 2) nas semifinais. Na disputa do bronze, as brasileiras superaram as colombianas (3 a 2). O título ficou com as norte-americanas, que superaram as mexicanas na decisão. Cuba também conquistou a medalha de bronze.

Ney Wilson reconheceu que o resultado do torneio por equipes feminino foi decepcionante. "No feminino, acredito que nós falhamos, deixamos escapar uma boa oportunidade de ser campeão. Creio que as meninas relaxaram um pouco depois de passar por Cuba e acabaram não encarando os Estados Unidos como deveriam. Além disso, tivemos alguns acidentes contra as americanas como a dor que Érika sentiu na costela e o problema com o braço da Rafaela que acabaram comprometendo o resultado. Fica um grande aprendizado", disse.

Os dois países mais bem colocados no Pan-Americano garantiam uma vaga no Mundial por Equipes que será disputado junto com o Individual no Rio de Janeiro, a partir do dia 26 de agosto. Como país-sede, o Brasil já estava classificado para a competição e usou torneio por equipes como preparação para o Mundial, que terá o mesmo formato de disputa.

"Acredito que independentemente de termos a vaga garantida ou não, para nós era importante participar até porque tradicionalmente já disputamos o Pan-Americano por equipes. Além disso, foi bom para os atletas poderem vivenciar a experiência de trabalhar em equipe. Foi um treinamento de luxo para o Campeonato Mundial", analisou Ney Wilson.

Os judocas brasileiros voltam a competir nos dias 4 e 5 de maio, quando será realizado o Grand Slam de Baku. O País vai ser representado por Diego Santos (60kg), Leandro Cunha (66kg), Marcelo Contini (73kg), Felipe Costa (81kg), Nacif Elias (90kg), Rafael Buzacarini (100kg), Walter Santos (+100kg), David Moura (+100kg), Eleudis Valentim (52kg), Mariana Barros (63kg), Nádia Merli (70kg), Maria Suelen Altheman (+78kg) e Claudirene Cézar (+78kg).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.