Erich Schlegel/ USA Today Sports
Erich Schlegel/ USA Today Sports

Brasil vai a duas finais no tênis de mesa e tem resultado histórico

Técnico, Hugo Hoyama tenta tri masculino e inédito ouro feminino

Estadão Conteúdo

21 de julho de 2015 | 15h17

Vivendo a melhor fase da sua história, justamente no momento em que Hugo Hoyama se aposentou como jogador e começa sua trajetória como técnico, o Brasil está nas duas finais por equipes dos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Pega os Estados Unidos no feminino, a partir das 18h (horário de Brasília), e o Paraguai no masculino, duas horas depois.

Independente do resultado da final, o Brasil já tem seu melhor desempenho na história do tênis de mesa feminino. A equipe, que recentemente foi promovida à primeira divisão do Mundial da modalidade, avançou à final vencendo Porto Rico por 3 a 1.

Lin Gui (129ª do ranking mundial) perdeu o primeiro confronto, para Adriana Díaz (179ª), por 3 sets a 1. Caroline Kumahara (154ª) deixou tudo igual devolvendo os 3 a 1 sobre Melaine Díaz (346ª). Nas duplas, o Brasil jogou com Gui e Lígia Silva (178ª) e fez 3 a 0 fácil sobre Díaz/Cordero.

A vaga na semifinal foi decidida já no quarto jogo. Carol Kumaraha mostrou por que ela é o grande nome da nova geração do País e fez 3 a 0 em Carelyn Cordero (327ª), fechando o confronto por 3 a 1, classificando o time treinado por Hugo Hoyama para a disputa do ouro.

Esta é a primeira vez que o Brasil vai disputar uma final feminina no tênis de mesa do Pan. Em toda a história do evento, o País só havia ganhado duas medalhas de bronze, em 1991 (Havana) e 1999 (Winnipeg), ambas por equipes.

HOMENS

No masculino, o Brasil é o atual bicampeão por equipes e vai atrás do tri. Se entre as mulheres Hoyama é a novidade, como treinador, entre os homens é a ausência. Afinal, pela primeira vez desde Caracas (1983), ele não está entre os jogadores da equipe.

Mesmo assim, o Brasil vive seu melhor momento na história. Tanto que chegou à final sem perder nenhum dos 12 jogos que já realizou, matando todos os quatro confrontos por 3 a 0. Diante do Canadá, na semifinal, também foi assim.

Número 76 do ranking mundial, Hugo Calderano abriu o dia vencendo um duelo equilibrado contra Eugene Wang, o 58º do mundo, por 3 sets a 2. Na sequência, Gustavo Tsuboi (55º) fez 3 a 1 em Pierre-Luc Theriault (318º). O confronto chegou ao fim com vitória de Tsuboi/Thiago Monteiro contra Thieriault/Marko Medjugorac.

O Brasil é favorito nas duas finais. No masculino, é o 21º do ranking mundial por equipes, enquanto o Paraguai é o 60º. Entre as mulheres, a diferença é mínima: Brasil em 24º, EUA em 28º lugar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.