Brasil bate Argentina e conquista o Sul-Americano

Apoio da torcida foi decisivo em partida emocionante, que incluiu bate-boca entre técnicos e vaias do público

CUIABÁ, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2011 | 03h03

A seleção masculina do técnico Bernardinho coroou a campanha invicta no campeonato Sul-Americano de Vôlei com vitória sobre a Argentina na manhã de ontem. Com o Ginásio Aecim Tocantins, em Cuiabá, lotado, o Brasil ganhou o primeiro set (25/20), mas a Argentina recuperou-se no segundo (19/25). O time de Bernardinho reagiu nos sets seguintes (25/23 e 25/21) e garantiu a hegemonia continental.

Nos primeiros momentos do jogo, as duas equipes cederam pontos em erros técnicos. Foi Dante quem fez a diferença, abrindo três pontos de vantagem com bolas cravadas do fundo da quadra. O set foi finalizado por um bloqueio de Murilo.

A reação argentina veio com um bloqueio forte, que garantiu à equipe vantagem de seis pontos. A essa altura, Bernardinho pediu um tempo técnico, que serviu para aumentar o moral do time, mas não para salvar o set.

Os momentos de tensão em quadra ficaram por conta de discussões entre os treinadores brasileiro e argentino. Durante o terceiro set, Bernardinho reclamou da equipe adversária, acusando os jogadores de molharem a bola para deixá-la mais pesada antes do saque. Javier Weber, o técnico argentino, reagiu, e os dois bateram boca. A torcida vaiou o adversário.

Em quadra, os jogadores brasileiros não se abalaram pelas discussões. Após as acusações e as vaias, porém, o argentino Conte errou o saque, e o Brasil fechou o set em seguida.

No quarto set, foram decisivas as atuações de Lucão e Murilo, que foi responsável pelo ponto do título, num saque.

O treinador brasileiro também mostrou insatisfação com a arbitragem do jogo. Na segunda metade do quarto set, o técnico reclamou de uma marcação duvidosa e foi punido com cartão amarelo. "Esses juízes são horríveis. Colocar um juiz desse para apitar uma final como essa é temerário. O vôlei sul-americano merece um nível melhor", afirmou Bernardinho, em entrevista ao SporTV.

A rivalidade entre as equipes é grande, mas o Brasil é superior em resultados. Das 29 edições do Sul-Americano, só não conquistou o campeonato em 1964, porque não disputou. Ainda assim, Brasil e Argentina já entraram em quadra com a classificação garantida para a Copa do Mundo, que será realizada no Japão, em novembro. A competição vale três vagas para a Olimpíada de Londres.

A classificação final no campeonato ainda teve, na ordem, Venezuela, Colômbia, Chile, Paraguai e Uruguai.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.