Alex Silva/AE
Alex Silva/AE

Brasil bate Costa do Marfim e vai às quartas do Mundial de handebol

Goleira Babi marca novamente no último lance, mas a mesa não valida e seleção vence por 35 a 22

Nathalia Garcia - estadão.com.br,

12 de dezembro de 2011 | 21h47

SÃO PAULO - O Brasil já está entre as oito melhores seleções do mundo. Nesta segunda-feira, a equipe venceu a Costa do Marfim por 35 a 22 e se garantiu nas quartas de final do Mundial feminino de handebol. Apesar do excelente resultado, os torcedores no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, não viram um bom desempenho das donas da casa.

A superioridade técnica e física das brasileiras era visível desde os primeiros minutos de jogo, mas diversos erros - inclusive de finalização - impediram que o placar fosse mais elástico.

"A gente já sabia que ia ser um jogo difícil. Não jogamos tão bem, mas conseguimos a vitória. O Brasil já está entre os oito melhores do mundo, mas queremos mais", disse Ana Paula.

O técnico Morten Soubak se mostrou preocupado. "Claro que estou muito feliz. Mas nós temos de melhorar. Perdemos muitos gols cara a cara com a goleira."

O Brasil agora enfrenta a Espanha na próxima quarta-feira, às 20 horas, também no Ibirapuera. O time europeu entrou no caminho das brasileiras ao superar Montenegro por 23 a 19, em Barueri, no domingo.

JOGO

Com um tiro de sete metros, Alexandra abriu o marcador para o Brasil. E a ponta-direita logo emplacou o segundo. A Costa do Marfim quebrou o embalo das donas da casa com um chute de apoio da meia-esquerda Ncho Elodie Mambo. 

Fórmula que voltou a se repetir por todo o primeiro tempo. Todas as jogadas que levaram algum perigo ao gol de Chana/Babi estavam concentradas nas mãos da camisa 5.

Do lado brasileiro, as pontas foram as principais goleadoras. Aos 15 minutos, Fernanda França abriu vantagem sobre as africanas com três belos gols. Até mesmo a ponta-direita Samira saiu da reserva para deixar sua marca.

Mas o grande nome do jogo foi Alexandra, artilheira com sete gols só na primeira etapa, que terminou com a parcial de 15 a 8 para as meninas do Brasil. 

Já no segundo tempo, as meias foram determinantes para a vitória da seleção verde-amarela. Com Duda, pela esquerda, e Deonise, pela direita, as jogadas e os gols foram saindo. Na metade do segundo período, o técnico dinamarquês colocou Sílvia Helena no ataque. A meia se impôs e balançou as redes da Costa do Marfim.

Aos 25 minutos, foi a vez de Jessica mostrar que estava a altura de substituir Alexandra e a ponta-direita marcou duas vezes consecutivas. No último lance do jogo, a goleira Babi arremessou de sua área contra o gol das africanas e, assim como no jogo contra a Tunísia, cravou a vitória brasileira.

Após o final da partida, no entanto, houve confusão. Apesar da árbitragem ter confirmado o que seria o 36.º gol, a mesa já havia encerrado o placar antes da bola entrar.

(Atualizado às 22h26)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.