Brasil bate Japão e fica em 3º na fase intercontinental da Liga de Polo Aquático

O Brasil encerrou neste domingo a sua participação na fase intercontinental da Liga Mundial Masculina de Polo Aquático. Jogando contra o Japão, dono da casa, venceu por apertados 13 a 12 em Yokohama e conquistou o terceiro lugar do torneio. Os EUA ganharam a final contra a Austrália e ficaram com o título.

Agência Estado, Estadão Conteúdo

15 de maio de 2016 | 09h48

A fase intercontinental reúne as equipes que não são da Europa e classifica para a Super Final. Após dois vices (para EUA em 2014 e Austrália em 2015), o terceiro lugar de 2016 é o pior resultado do Brasil em três anos. Na campanha em Yokohama, os brasileiros levaram 13 a 9 dos australianos e 16 a 11 dos norte-americanos.

O Brasil, entretanto, repetiu os triunfos sobre Casaquistão (19 a 7), China (17 a 4) e Japão (16 a 10) na fase de grupos. Neste domingo, no segundo jogo consecutivo contra os donos da casa, a vitória foi bem mais apertada. Croata naturalizado, Josip Vrlic resolveu com mais cinco gols. Com 21, foi o artilheiro da competição.

"Foi um jogo muito físico, e foi muito importante mantermos nossas cabeças tranquilas até o final. Hoje somos uma equipe forte psicologicamente. Estou muito satisfeito com a equipe, fizemos um bom progresso esta semana, e fomos a única equipe que veio aqui sem preparação. Talvez se tivéssemos vindo com mais preparação, poderíamos ter feito melhor nos jogos anteriores", comentou o técnico do Brasil, o croata Ratko Rudic.

O terceiro lugar era importante para proporcionar uma chave melhor na Super Final, que também terá Sérvia, Itália e Grécia. O torneio acontece de 21 a 26 de junho, em Huizhou, na China. No ano passado, o Brasil conquistou uma inédita medalha de bronze.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.