Brasil começa batalha para voltar à elite do tênis

Na estreia, o número 115 na ATP, Rogério Dutra, tenta marcar primeiro ponto no confronto contra os russos

NATHALIA GARCIA , ENVIADA ESPECIAL /, SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2012 | 10h11

A estreia do Brasil diante da Rússia na repescagem do Grupo Mundial da Copa Davis está nas mãos de Rogério Dutra Silva, número 115 do ranking da ATP.

O brasileiro enfrentará Igor Andreev hoje, às 15h, e promete deixar "toda a gota de suor possível" para faturar o primeiro ponto para o País. Ele sabe que tem uma difícil missão em São José do Rio Preto, interior de São Paulo, mas está empenhado em ajudar o grupo a ganhar confiança.

"Se eu conseguir fazer uma boa partida e sair com a vitória, já dará uma tranquilidade a mais para o Thomaz (Bellucci)", diz.

Bellucci, número 1 do País, terá Teymuraz Gabashvili, 163.º do mundo, como adversário. E o resultado da estreia pode deixar o tenista com boas chances de encaminhar a classificação ainda no primeiro dia de confrontos.

Para ele, Gabashvili pode ser perigoso. "Acho que ele vai jogar solto, como franco-atirador. Vou ficar bem tranquilo, então, tenho certeza de que farei um bom jogo e ganhar nosso ponto."

O Brasil ainda aposta em um bom jogo nas duplas já que Bruno Soares e Marcelo Melo estão em boa fase. Para tentar surpreender o time brasileiro, o capitão russo, Shamil Tarpischev, anunciou que sábado entram em quadra Alex Bogomolov Jr., número 90 no ranking, e Stanislav Vovk, de apenas 21 anos.

Tarpischev ainda tem a possibilidade de fazer alterações em sua equipe para as partidas de amanhã e domingo. E os tenistas brasileiros trabalham com essa alternativa. "Eu acredito que vão jogar Bogomolov e Andreev. A não ser que alguma coisa esquisita aconteça na sexta (hoje)", analisa Bruno Soares.

No último dia, Bellucci pegará Andreev e Rogerinho fechará a disputa contra Gabashvili.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.