Cris Bouroncle/AFP
Cris Bouroncle/AFP

Brasil começa bem na natação com seis pódios e três ouros no Pan

João Gomes Junior, Leonardo de Deus e a equipe masculina de revezamento 4 x 100m livre subiram no lugar mais alto do pódio

Paulo Favero, enviado especial a Lima, O Estado de S.Paulo

07 de agosto de 2019 | 00h59

O Brasil mostrou sua força no primeiro dia de finais da natação. Os atletas nacionais ganharam seis medalhas, sendo que três de ouro, duas de prata e uma de bronze. No encerramento da disputa, a equipe masculina de revezamento 4 x 100m livre fechou em grande estilo com o lugar mais alto no pódio com novo recorde dos Jogos Pan-Americanos.

O time foi formado por Breno Correia, Marcelo Chierighini, Bruno Fratus e Pedro Spajari, que superaram os Estados Unidos do experiente Nathan Adrian, que fechou a prova. No revezamento 4 x 100m livre feminino, a equipe com Etiene Medeiros, Larissa Oliveira, Manuella Lyrio e Daynara de Paula ficou com a prata.

Leonardo de Deus foi o grande destaque individual do Brasil na noite ao ganhar o tricampeonato na prova dos 200m borboleta. "Estou muito feliz. O sentimento de ser tricampeão pan-americano é para poucos. Não estou nem acreditando. Cheguei a esse Pan de último minuto. Estava me sentindo muito pressionado, ainda mais por tudo que aconteceu até eu chegar aqui", disse o nadador, que substituiu Gabriel Santos, suspenso por doping.

Outro ouro do Brasil veio com João Gomes Junior na prova de 100m peito. Ele fez uma ótima prova e ficou à frente dos norte-americanos Cody Miller e Kevin Cordes. Felipe Lima, que começou bem a disputa, acabou não conseguindo realizar os últimos 50 metros com a mesma eficiência e ficou na quarta posição.

Fernando Scheffer e Luiz Altamir conquistaram uma dobradinha no pódio para o Brasil nos 400m livre. Eles ganharam a prata e o bronze, respectivamente, e vibraram com uma estreia entre os primeiros na prova. "É sempre bom começar com o pé direito", comentou Scheffer, que ficou atrás de Andrew Abruzzo, dos Estados Unidos.

"Gostei bastante da prova que fiz em relação às eliminatórias. Consegui acertar algumas coisas e liderei quase até o final. Mas o americano passou bem na parte final e conseguiu me superar", continuou o brasileiro.

Já Luiz Altamir festejou o resultado. Ele teve de acelerar no fim porque Christopher Wieser, dos Estados Unidos, começou a se aproximar e ele poderia ficar fora do pódio. "Estou muito feliz e acho que começar com uma medalha na primeira prova é algo muito legal. Foi uma disputa boa até o fim da prova", comemorou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.