John David Mercer/USA Today
John David Mercer/USA Today

No badminton, Brasil está próximo de cumprir meta para Pan

País classificou sete atletas ou duplas para as quartas de final

Estadão Conteúdo

12 de julho de 2015 | 19h37

O badminton do Brasil chegou aos Jogos Pan-Americanos com uma meta ousada: ganhar medalha em todas as cinco competições da modalidade. E agora está perto de atingir o objetivo. Com seis vitórias neste domingo, o País classificou sete atletas ou duplas para as quartas de final. Na segunda-feira, fará sete jogos que valem medalha, uma vez que não há disputa do bronze no badminton. Em só dois desses confrontos, entretanto, é favorito.

Na chave masculina de simples, são dois brasileiros brigando por medalha. Número 68 do mundo, Daniel Paiola venceu o guatemalteco Rodolfo Ramírez por 2 a 0 (21/11 e 21/17) e se classificou para as quartas de final, quando vai enfrentar o norte-americano Howard Shu, 54.º do ranking mundial.

Já o garoto Ygor de Oliveira, de apenas 18 anos, passou pelo mexicano Job Castillo, por 2 sets a 0 (21/14 e 21/17), e entrou no caminho do guatemalteco Kevin Gordon. Ygor é a grande revelação da modalidade e já entrou no top 100 do mundo. Seu rival, entretanto, é o terceiro cabeça de chave.

Nas duplas masculinas, o domingo foi de dois jogos e uma vitória. Hugo Arthuso/Daniel Paiola fez 2 a 0 (21/13 e 21/17) em Corpancho/Guevara, do Peru, e avançou para enfrentar Ramirez/Solis, da Guatemala, nas quartas de final. Já Ygor/Alex Tjong perdeu para outro time peruano, Cuba/Del Valle, por 2 a 0 (22/20 e 21/17), dando adeus ainda na primeira rodada.

Tjong se recuperou com a vitória mais importante do Brasil no dia. Jogando com Lohaynny Vicente pela segunda rodada da chave de duplas mistas, venceu por 2 a 0 (21/17 e 21/18) Shu/Lee, dos Estados Unidos, quarta melhor dupla do continente no ranking mundial. Nas quartas de final, são favoritos contra Henry/Winter, da Jamaica.

Entre as mulheres, também são duas as chances de medalha. A jovem Lohaynny Vicente, de apenas 19 anos, número 68 do ranking mundial, venceu a chilena Ting Ting Chou por 2 a 0, com duplo 21/10, e avançou para enfrentar a favorita Michelle Ly. A canadense é 15.ª do ranking mundial e estrela do badminton no Pan.

Já Fabiana Silva fez 2 a 0 na mexicana Mariana Ugalde (21/18 e 21/16) e agora vai enfrentar outra canadense, Rachel Honderich, número 58 do mundo - seis posições à frente da brasileira. Só Luana Vicente, irmã de Lohaynny, perdeu neste domingo. Levou 2 a 0 (21/8 e 21/12) da norte-americana Iris Wang.

A terceira derrota brasileira no dia veio na chave feminina de duplas. Fabiana/Paula Beatriz perdeu de Gaitan/González, do México, por 2 a 1 (14/21, 21/19 e 21/14). As irmãs Vicente, entretanto, estreiam direto nas quartas de final, contra Polanco Muñoz/Saturria, da República Dominicana. O Brasil é amplo favorito.

Em Guadalajara, há quatro anos, o Brasil ganhou apenas um bronze, com Daniel Paiola. O País nunca disputou os Jogos Olímpicos, mas em 2016 terá direito a um convite na chave masculina de simples e outro na feminina. Hoje, não precisaria do convite, porque Paiola e Fabiana estão na zona de classificação do ranking mundial. Nas duplas, vão ao Rio o melhor time do continente em cada disputa.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-Americanosbadminton

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.