AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Brasil de Pelotas comemora vaga na Primeira Liga em 2017

O Rio Grande do Sul terá três participantes na segunda edição da Primeira Liga, que ficou conhecida como Copa Sul-Minas-Rio em seu torneio de estreia. Além de Internacional e Grêmio, o Brasil de Pelotas, que briga pelo acesso à Série A do Campeonato Brasileiro, foi confirmado como 16.º participante da competição em 2017.

Agência Estado, Estadão Conteúdo

21 Outubro 2016 | 12h40

Em seu site, o Brasil comemora que "2017 nem chegou ainda e já prometer ser fantástico", uma vez que, depois de se filiar à liga, recebeu o convite para ser o 16.º participante da edição do ano que vem. A entidade confirma a vaga ao Brasil de Pelotas.

Em 2016, o torneio teve 12 participantes, sendo dois do Rio Grande do Sul (Inter e Grêmio), três de Santa Catarina (Avaí, Criciúma e Figueirense), dois do Paraná (Coritiba e Atlético-PR), três de Minas Gerais (Atlético-MG, Cruzeiro e América-MG), além de Flamengo e Fluminense.

O Brasil de Pelotas se associou à Primeira Liga em setembro, junto com Atlético-GO, Ceará, Luverdense, Tupi e Londrina, mas inicialmente não entraria na competição de 2017, que teria 15 clubes, divididos em três grupos. Os catarinenses Chapecoense e Joinville, e Paraná Clube já haviam sido incluídos.

Agora, com a adição do Brasil de Pelotas, a Primeira Liga muda seu formato. A competição terá quatro grupos com quatro equipes, com cruzamentos entre as chaves - os times do grupo A pegam os do grupo B, apenas, por exemplo. Assim, cada equipe faz quatro partidas. Os dois primeiros avançam às quartas de final, que será em jogo único. As datas da competição ainda não estão definidas.

Atlético-GO, Ceará, Luverdense, Tupi e Londrina participam das assembleias da Liga, mas não têm ainda o direito de disputar a competição, o que só deve acontecer quando ela conseguir se expandir. Boa e Juventude, já garantidos na Série B do ano que vem, devem ser os próximos a se associar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.