Brasil decepciona, só vai a uma final no remo do Pan e com o pior tempo

O Brasil decepcionou no primeiro dia de competições de remo nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Após as disputas de eliminatórias e repescagem de quatro provas, só conseguiu avançar à final A (que vale medalha) de uma delas, e com o pior tempo entre os seis barcos finalistas. Além disso, ficou atrás de rivais diretos por uma futura vaga nos Jogos Olímpicos.

Estadão Conteúdo

11 de julho de 2015 | 16h37

A única prova na qual o Brasil não foi eliminado da disputa por medalhas foi o double skiff peso leve feminino. A guarnição formada por Sophia Py e Caroline Corado ficou em quarto e último lugar na segunda bateria eliminatória. Na repescagem, terminou novamente em quarto, mas à frente de El Salvador e Venezuela, e se classificou para a final A, na terça-feira.

Na prática, Sophia e Caroline ficaram em sexto entre oito duplas. As jovens, de 19 e 20 anos, devem tentar depois, no Pré-Olímpico, classificar o Brasil para a Olimpíada. Precisarão ficar entre as três melhores da América Latina. Nas eliminatórias do Pan, foram superadas por México, Argentina e Cuba.

De resto, só decepção. No single skiff masculino, prova mais tradicional do remo, o corintiano Gabriel Campos, o Gael, foi quarto na eliminatória e repetiu o resultado entre cinco competidores da repescagem. Foi apenas o 10.º mais rápido entre 12 competidores. Por isso, vai ter que se contentar com a final B, que não vale medalha.

O Brasil tem convite para o Rio-2016 no single skiff e Gael disputa a convocação com Steve Hiestand. Filho de brasileiro, o suíço não foi convocado para o Pan porque não tinha dinheiro para vir ao Rio participar da seletiva. Neste sábado, fez final C da etapa de Lucerna (Suíça) da Copa do Mundo da modalidade. Entre os melhores do mundo, terminou em quinto da final C (15.º lugar geral), logo atrás da guarnição dos EUA.

No double skiff, Emanuel Dantas e Diego Nazário prometiam mais. Ficaram em terceiro na eliminatória e em terceiro na repescagem. Também vão disputar final B. A chance de uma vaga olímpica é mínima - vão os 11 primeiros do Mundial, mais dois do Pré-Olímpico Mundial.

Por fim, no double skiff peso leve, Ailson Eraclito e Thiago Carvalho terminaram a eliminatória em último entre quatro barcos e terceiro na repescagem. Por isso, vão disputar com Guatemala e Venezuela a final B. Assim como no feminino, o Brasil vai disputar três vagas olímpicas no Pré-Olímpico da América Latina. Em Toronto, já ficou atrás de Chile, Cuba, México e Uruguai.

Em Guadalajara, em 2011, o Brasil ganhou duas pratas, em provas que terão eliminatórias apenas no domingo em Toronto. A principal esperança do País no Canadá é com Fabiana Beltrame, mas em prova que não é olímpica, o single skiff peso leve.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-Americanosremo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.