Jonne Roriz/Estadão - 9/8/2012
Jonne Roriz/Estadão - 9/8/2012

Brasil define equipe de maratona aquática para Mundial de Barcelona

Luis Rogério Arapiraca, Samuel de Bona, Poliana Okimoto e Ana Marcela Cunha são os escolhidos

AE, Agência Estado

24 de fevereiro de 2013 | 16h37

SÃO PAULO - A equipe brasileira que vai disputar a maratona aquática no Mundial de Barcelona, em julho, foi completada neste domingo, com a Meia Maratona de Porto Belo, em Santa Catarina. Os dois primeiros colocados no masculino e no feminino garantiram classificação para disputar a prova de 5km na Espanha.

No masculino, Luis Rogério Arapiraca, da Unisanta, e Samuel de Bona, do Grêmio Náutico União/RS, conquistaram os dois lugares. No feminino, nenhuma novidade. Carimbaram o passaporte Poliana Okimoto, do Minas Tênis, e Ana Marcela Cunha, do Sesi/SP, dois grandes nomes da modalidade no País.

Elas já estavam garantidas na prova de 10km, olímpica, por terem sido as duas primeiras da Maratona Internacional de Santos, em janeiro. Entre os homens, na prova mais longa os representantes serão Allan do Carmo e Diogo Villarinho.

Os classificados para os 10km têm prioridade para nadar a prova de 25km em Barcelona, uma vez que a CBDA não vai realizar seletiva. Poliana Okimoto já disse que não pretende competir na distância longa. Ana Marcela Cunha sim, uma vez que quer defender o título conquistado no Mundial de Xangai, em 2009.

Entre os homens, renovação. "Não consegui pegar a vaga nos 10 km, então vim com tudo para conquistar lugar nos 5 km e sabia que ia ser duro porque a prova foi a mais forte em muito tempo. Muitos nadadores de qualidade como o Villarinho, o Allan, o Victor (Colonese), o Lucas Kanieski. Agora tenho que ganhar velocidade, treinar e pensar numa estratégia para ter um bom resultado no Mundial", comentou Samuel Bona.

Já Luis Arapiraca tem grandes chances de obter um feito histórico e conseguir a classificação para nadar também nas piscinas, uma vez que ele deve brigar pela vaga nos 880m e nos 1.500m. "Em 2009 (Mundial de Roma) consegui a vaga aqui, mas foi diferente porque fui o quarto colocado e entrei numa desistência. Também era muito novo e não tinha ainda um estilo definido. Agora é diferente. Já tenho experiência e hoje vim com a cabeça de que queria estar entre os dois primeiros. Vencer a prova foi bom demais". contou Arapiraca.

Tudo o que sabemos sobre:
nataçãomaratona aquática

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.