Emilio Andreoli/AP
Emilio Andreoli/AP

Brasil deixa liderança do ranking do vôlei feminino após o bronze

Seleção de Zé Roberto é ultrapassada pela equipe dos EUA, algoz da semifinal, que ganha o posto graças ao título mundial na Itália

Estadão Conteúdo

13 de outubro de 2014 | 12h41

A seleção brasileira feminina de vôlei está fora da liderança do ranking mundial. Um dia após terminar o Mundial de Vôlei, realizado na Itália, na terceira colocação, a equipe dirigida por José Roberto Guimarães caiu para o segundo lugar na lista, agora liderada pelos Estados Unidos.

A seleção norte-americana foi a algoz do Brasil no Mundial ao derrotá-lo nas semifinais, por 3 sets a 0, e, posteriormente, faturou pela primeira vez o título do torneio ao bater a China por 3 a 1 na decisão. Assim, os Estados Unidos também assumiram a primeira colocação da lista, com 345 pontos.

Atual campeã olímpica e do Grand Prix, o Brasil adiou o sonho de ser campeão mundial pela primeira vez, mas ao menos subiu ao pódio ao derrotar a Itália por 3 sets a 2 na disputa do terceiro lugar. Com essa campanha, a equipe agora soma 310 pontos, na segunda colocação no ranking.

Vice-campeã mundial, a China ganhou duas posições na lista e está em terceiro lugar, com 276 pontos. O Japão foi uma das equipes ultrapassadas na lista e está na quarta colocação, à frente da Itália, anfitriã do Mundial e que foi semifinalista da competição.

A lista das dez primeiras do ranking é completada pela República Dominicana, em sexto lugar, a Rússia, em sétimo, a Sérvia, na oitava posição, a Alemanha, na nona colocação, e a Coreia do Sul, em décimo.

PREMIAÇÃO INDIVIDUAL - Derrotada apenas uma vez no Mundial, a seleção brasileira teve duas jogadoras premiadas pelo desempenho na Itália. Sheilla foi escolhida a melhor oposta, enquanto Thaisa acabou sendo apontada como a principal central da competição.

As chinesas Ting Zhu (melhor ponteira) e Junjing Yang (segunda melhor central), as norte-americanas Kimberly Hill (segunda melhor ponteira) e Alisha Glass (melhor levantadora), e a italiana Monica DeGennaro (melhor líbero) também foram premiadas. Hill foi eleita melhor jogadora do torneio. A norte-americana fez 159 pontos em todo o torneio, incluindo 20 na decisão contra a China.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.