Divulgação
Divulgação

Brasil disputa pela primeira vez o Mundial de ciclismo de pista

Quatro atletas do País são os estreantes em competição realizada desde 1893. Objetivo é conseguir classificação para a Olimpíada

Amanda Romanelli, O Estado de S. Paulo

18 de fevereiro de 2015 | 07h00

O Brasil estreia nesta quarta-feira, na França, em uma competição centenária. Pela primeira vez, atletas do País participarão do Mundial de ciclismo de pista, realizado desde 1893, com interrupção apenas nos períodos das Grandes Guerras. A edição que vai até domingo será disputada na cidade de Saint-Quentin-en-Yvelines, próxima a Paris.

A confirmação de quatro atletas - Flávio Cipriano, Kacio Freitas, Hugo Osteti e Gideoni Monteiro - na competição é um feito para um País que, apesar de sediar uma Olimpíada, nem sequer tem um velódromo com padrões internacionais. A pista construída para o Pan do Rio, em 2007, foi desmontada em 2013 e deve ser reconstruída em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, apenas até o fim de 2016. E a construção do velódromo olímpico está atrasada - a promessa de entrega é para o fim deste ano.

Sem a infraestrutura necessária no País, os atletas brasileiros treinam no centro da Centro Mundial de Ciclismo (CMC) da União Ciclística Internacional (UCI), que fica na cidade de Aigle, na Suíça. Lá, disputam provas e encontram alguns dos principais nomes da modalidade. 

Afinal, ao contrário dos outros eventos do ciclismo - estrada, mountain bike e BMX -, o Brasil não tem vaga garantida nos Jogos de 2016 nas provas de pista por ser país-sede.

Técnico da equipe brasileira, Emerson Silva comemorou a classificação inédita e a importância da participação no evento para a busca pela vaga olímpica. Assim como ocorreu no Mundial, o Brasil nunca disputou uma Olimpíada no ciclismo de pista. "Lutamos muito para conseguir essa classificação. O Mundial também será seletivo para o Rio. Acredito que essa participação será um divisor de águas, a preparação foi intensificada nos últimos meses para esta competição. A meta é figurar entre as dez primeiras posições das provas que iremos disputar."

O Brasil estreia já nesta quarta, na prova de velocidade por equipe, com Flávio Cipriano, Kacio Freitas e Hugo Osteti. Entre os dias 20 e 22, o País compete na velocidade individual (com Cipriano) e na omnium, com Gideoni Monteiro. O grupo será acompanhado pelo espanhol Miguel Torres, supervisor técnico da seleção e membro do CMC, assim como o mecânico Yoann Le Foulgoc.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.