JuanJo Martin/EFE
JuanJo Martin/EFE

Brasil é prata e bronze na maratona aquática de 5km

Poliana Okimoto conquista a medalha de prata e Ana Marcela Cunha fatura o bronze

AE, Agência Estado

20 de julho de 2013 | 09h36

BARCELONA - O Brasil começou muito bem a sua participação no Mundial de Esportes Aquáticos, realizado em Barcelona. Neste sábado, Poliana Okimoto conquistou a medalha de prata na prova de 5 quilômetros da maratona aquática e Ana Marcela Cunha faturou o bronze. O feito foi inédito para o País, que nunca havia conquistado duas medalhas na mesma competição no Mundial.

"É muito difícil mesmo fazer uma dobradinha numa competição de alto nível como esta. Então está todo mundo de parabéns. Isto prova que o Brasil está muito bem, que faz um trabalho sério nas maratonas porque numa competição difícil assim está todo mundo muito bem preparado", explicou Poliana.

A maratona aquática de 5 quilômetros foi vencida pela norte-americana Haley Anderson, com o tempo de 56min34s2, Ela abriu boa vantagem no início, mas na metade da prova perdeu a liderança para Poliana. No final, porém, o triunfo ficou mesmo com a norte-americana, com uma vantagem de apenas 2 centésimos para a brasileira, que completou a prova em 56min34s4.

Após a prova, Poliana celebrou a medalha de prata e lembrou as dificuldades que precisou superar, incluindo uma intoxicação alimentar há dois dias. "Estou muito feliz porque passei um ano muito complicado depois que não completei a prova nos Jogos Olímpicos de Londres. Fiquei preocupada também porque passei mal há dois dias, com uma intoxicação alimentar. Tanto que estávamos avaliando se era melhor desistir desta prova para poupar para as outras, mas fui melhorando e decidimos enfrentar. Sinto que estou voltando a competir bem e me recuperando como atleta", disse.

Campeã dos 25 quilômetros no Mundial de Xangai, em 2011, Ana Marcela terminou a primeira metade da prova apenas na 12ª colocação. Ela reagiu na parte final para conquistar a medalha de bronze em uma prova que não é a sua especialidade.

"Era a prova mais difícil que eu tinha na competição. Imaginava que seria a minha pior colocação porque não consigo imprimir um ritmo bom desde o início. Estou muito surpresa com a medalha. Quando vi a grega (Mariana Lymperta) crescendo do meu lado, aí é que bateu uma aflição maior, mas consegui e começar com uma medalhinha já foi muito bom. Em 2011 a primeira prova foi a de 10 quilômetros, onde fiquei longe da vaga olímpica por uma posição, depois fui crescendo na competição e terminei com o ouro nos 25 (quilômetros). Se agora comecei com o bronze, espero que até a última prova venham outros resultados melhores", disse.

O resultado obtido neste sábado representou uma evolução para Poliana e Ana Marcela em relação aos Mundiais anteriores. Em 2011, em Xangai, Ana Marcela ficou em sétimo lugar e Poliana foi a 11ª colocada. Já no Mundial de 2009, em Roma, Poliana faturou o bronze. Ana Marcela já possuía um bronze nos 5 quilômetros, mas no extinto Mundial de Maratonas, disputado em 2010, em Roberval, no Canadá.

Embaladas pelas medalhas conquistadas neste sábado, Poliana e Ana Marcela voltam a competir na próxima terça-feira, quando vão participar da prova de 10 quilômetros, a partir das 7 horas (de Brasília). Ana Marcela espera lutar novamente pelo pódio. "Agora só tenho na cabeça a prova de 10 e 25 quilômetros deste Mundial. Quando terminar os 25 quilômetros começo a pensar em 2015. São etapas que precisamos cumprir", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.