Szilard Koszticsak/AP
Szilard Koszticsak/AP

Brasil empata, avança no Mundial e se garante na Copa Fina de polo aquático

Resultado da seleção masculina de 6 a 6 com o Canadá garantiu dois objetivos

Estadão Conteúdo

21 de julho de 2017 | 20h22

A seleção brasileira masculina de polo aquático obteve um grande resultado nesta sexta-feira. Empatou com o Canadá por 6 a 6, garantiu-se na segunda colocação do Grupo A e avançou à próxima fase do Mundial de Esportes Aquáticos, disputado em Budapeste, na Hungria.

Não bastasse o feito, a equipe nacional ainda obteve uma inédita classificação à Copa Fina, competição que será disputada em 2018, é realizada a cada quatro anos e reúne a melhor seleção de cada continente, os dois mais bem classificados no Mundial e o país anfitrião - no caso, o Japão. Como Canadá e Estados Unidos acabaram em último de seus grupos, o Brasil se garantiu como o melhor das Américas. Depois de vencer o Casaquistão na estreia, por 6 a 2, e perder para Montenegro na rodada seguinte, por 14 a 5, a seleção entrou na piscina precisando de um empate para avançar no Mundial. E assim o fez. A equipe até entrou no último quarto perdendo por 6 a 5, mas reagiu e assegurou a igualdade.

Destaque para a atuação de Gustavo Coutinho, o Guzinho, autor de dois gols diante do Canadá. Gustavo "Grummy" Guimarães, Pedro Stellet, Roberto Freitas e Anderson "Canhoto" Cruz completaram o placar.

Classificado em segundo lugar, o Brasil enfrenta agora a seleção da Austrália, terceira colocada do Grupo B, às 8h30 (de Brasília) deste domingo. Quem vencer se garante nas quartas de final e encara a Sérvia, campeã olímpica e mundial - os primeiros de cada grupo avançam direto.

"Antes de pensar na Copa Fina, vamos pensar na próxima fase", avaliou Gustavo Coutinho. "Ganhamos ritmo aqui e vimos nossas falhas nestas três partidas. Muito legal conseguir esta vaga histórica com uma equipe nova, que teve uma grande renovação do grupo olímpico de 2016, com apenas quatro que foram convocados".

Tudo o que sabemos sobre:
polo aquático

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.