Divulgação
Divulgação

Brasil entre as melhores seleções de tênis de mesa na Copa do Mundo

Pela primeira vez o País conseguiu se classificar às quartas de final da Copa do Mundo com as seleções masculina e feminina

Estadão Conteúdo

09 de janeiro de 2015 | 16h04

De uma vez só, o tênis de mesa conseguiu dois resultados inéditos nesta sexta-feira, em Dubai, nos Estados Unidos. Pela primeira vez, tanto a seleção masculina quanto a feminina se classificaram para as quartas de final da Copa do Mundo por equipes. Assim, o País se colocou entre os oito melhores do mundo na modalidade.

A Copa do Mundo, diferente do Mundial por Equipes, conta com 12 países por naipe, representando os cinco continentes. O Brasil deu sorte porque, tanto no masculino quanto no feminino, caiu no mesmo grupo que a Austrália, representante da Oceania. Assim, os triunfos sobre os australianos permitiram às seleções brasileiras chegarem nas quartas de final.

Entre os homens, o Brasil levou 3 a 0 da Alemanha na estreia, mas ganhou de 3 a 2 da Austrália de virada. Nas quartas de final, os brasileiros não tiveram nenhuma chance diante da China, potência máxima do tênis de mesa. Gustavo Tsuboi, Cazuo Matsumoto, Thiago Monteiro e Hugo Calderano representaram o País.

Já no feminino a derrota na estreia foi para a China, em um confronto em que as melhores do mundo não tiveram facilidade. Na sequência, a vitória sobre a Austrália colocou o Brasil nas quartas de final. Valendo vaga na semifinal, o time comandado por Hugo Hoyama parou no Japão, por 3 a 0. A equipe foi formada por Caroline Kumahara, Ligia Silva, Gui Lin e Jessica Yamada.

Atualmente o Brasil conta com três atletas entre os 100 melhores do ranking mundial: Gustavo Tsuboi (40.º), Hugo Calderano (56.º) e Cazuo Matsumoto (76.º). Hugo, que atua por um clube alemão, ainda é o oitavo no sub-21. No feminino, Caroline Kumahara ocupa o 120.º lugar adulto e 40.º no sub-21.

Tudo o que sabemos sobre:
tênis de mesaHugo Calderano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.