'Brasil está uns 30 anos atrasado' no combate ao doping

O COI critica o Brasil por não ter laboratório nem leis suficientes para a luta contra o doping e alerta que o País está atrasado em sua preparação para os Jogos de 2016. O recado foi dado pelo sueco Arne Gunnar Gunnarsson Ljungqvist, chefe da Comissão Médica do COI e vice-presidente da Wada, a agência internacional de combate ao doping.

JAMIL CHADE, ENVIADO ESPECIAL/LONDRES, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2012 | 03h06

"O Brasil está atrasado", disse ele. "Mas não está atrasado apenas para 2016. O Brasil está atrasado uns 30 anos. Há muito tempo essa estrutura já deveria existir." O Brasil se comprometeu em 2009 a fortalecer sua estrutura de combate ao doping para sediar os Jogos. Mas só no início do ano criou uma agência para isso.

O Laboratório de Controle de Doping da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) é o único aprovado pela Wada no País. "Uma sede deve estar preparada anos antes", alertou Ljungqvist. / JAMIL CHADE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.